terça-feira, 26 de agosto de 2014

Vinhos em família (LV) : algumas desilusões

Mais uma série de vinhos, provados com o rótulo à vista, calmamente em família. Desta vez foram todos brancos, 2 Alvarinhos (um genuino, o outro não), 1 Arinto de Bucelas e 2 Reservas, com algumas desilusões pelo meio.
.Vale dos Ares Alvarinho 2013 - produzido por MQ Vinhos, Lugar do mato (Monção), com enologia de Gabriela Albuquerque; presença de citrinos, notas florais, mineral, volume e final de boca médios; um branco certinho, agradável e descomplicado, próprio para esta estação. Falta-lhe alguma complexidade para dar o salto para outro patamar. Nota 16,5.
.Adega Mãe Alvarinho 2012 - austero, sem a exuberância da casta, fruta fresca, acentuadamente mineral, acidez equilibrada, elegante e harmonioso. A casta Alvarinho a dar-se bem em Torres Vedras. Nota 16,5+ (noutra situação, a mesma nota).
.Morgado Stª Catherina 2010 - défice de acidez, pesado na boca; uma grande desilusão esta garrafa de um dos brancos que mais gosto. Fico na dúvida, azar com a garrafa ou esta colheita já foi? Nota 14 (noutras 17,5+/17,5/17,5+).
.Dory Reserva 2012 - produzido pela Adega Mãe, com base nas castas Viosinho, Chardonnay e Viognier, fermentou em barricas de carvalho francês e fez "batonnage" durante 6 meses; fruta madura, acidez muito equilibrada, alguma gordura, notas fumadas, madeira bem casada, volume de boca evidente. A única crítica: os 14% de álcool, um exagero. Nota 16,5+.
.Qtª dos Carvalhais Reserva 2010 - lançado agora pelo Clube 1500 da Sogrape, com base nas castas Encruzado e Verdelho, após 3 anos em barricas de carvalho, uma violência; complexidade aromática, fruta madura, excesso de madeira, alguma acidez mas insuficiente, gordura. É um branco muito pesado, mesmo na época mais fria. Muito abaixo das  expectativas criadas. Nota 14,5. Fico curioso em saber que apreciações irá ter, da parte da crítica consagrada.
.

4 comentários:

  1. Por norma gosto de todos os vinhos que saem da Quinta dos Carvalhais, mas tenho de concordar consigo este Reserva Branco tem madeira mais que em exagero e não me pareceu ter acidez suficiente para aguentar os anos necessários para o excesso de madeira se dissipar.
    O Morgado Stª Catherina é um dos meus brancos preferidos também, ando a beber as de 2007 e 2008 que tenho pois prefiro-o com alguma evolução. è com desagrado que vejo que a colheita de 2010 não está a evoluir no melhor sentido.

    Cumprimentos
    Bruno Santos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Bruno Santos,
      Obrigado pelo seu comentário que só hoje tive a oportunidade de ler. Pelo que me diz, temos gostos semelhantes quanto aos brancos. Quanto ao Morgado de Stª Catherina 2010, faço votos para que o problema fosse daquela garrafa.

      Eliminar
    2. Tenho uma dessas garrafas a aguardar na cave e concordo é um branco muito bom...provei ha uns tempos o 2008...magnifico mesmo...quanto ao reserva branco dos carvalhais nao podia estar mais de acordo...provei pela 1ª vez no adegga wine market servido pelo proprio Luis Sottomayor...e disse-lhe que o vinho estava algo agressivo...talvez seja vinho para aguardar...

      Eliminar
    3. Caro Rui Oliveira,
      Obrigado pelo seu comentário. Estamos na mesma onda!

      Eliminar