terça-feira, 23 de setembro de 2014

Evento "Wine Bloggers" na Adega José de Sousa

1.Preâmbulo
A convite da José Maria da Fonseca (JMF), mais uma vez, 12 bloguistas visitaram a centenária Adega José de Sousa, adquirida pela família Soares Franco em 1986. A JMF tem estado muito atenta ao mundo da blogosfera e organizado uma série de eventos com a nossa participação, não é demais lembrá-lo. Deste aspecto já me tinha referido em crónica anterior "Evento Wine Bloggers na José Maria da Fonseca - versão 2013", publicada em 19/11/2013. Tiro-lhes o meu chapéu!
Fomos recebidos pelo Domingos Soares Franco e pela Sofia, que nos acompanhou desde Lisboa.
2. A Adega
A Adega José de Sousa foi fundada por José de Sousa Faria e Mello, tio avô de José de Sousa Rosado Fernandes, ainda no século XIX. É detentora de um apreciável património histórico, onde se inclui um menir (!), cerca de 100 talhas e uma quantidade de peças não identificadas. Ainda há ali muito trabalho de arqueologia a fazer.
É claro que também possui um núcleo moderno com mais de 40 tanques de inox, para vinificação dos brancos e tintos que produz, mas o que mais impressiona é o núcleo histórico. De destacar uma ampliação do rótulo do 1º vinho que se conhece:
José de Sousa Faria e Mello
Vinho Tinto
Reguengos
1878
3.A prova
Orientada pelo Domingos, provámos  os vinhos de 2011 (José de Sousa, José de Sousa Mayor e o J), muito bons no seu respectivo patamar, com os quais eu já travara conhecimento noutras provas. Antes dos 2011, avançaram os Montado 2013, branco e tinto e, ainda, umas amostras de Trincadeira 2012, vinificada separadamente em inox, lagar e potes (talhas), que valeu pela curiosidade.
A grande surpresa, para mim, foi o Montado branco - muita fruta fresca, belíssima acidez, equilibrado, elegante e harmonioso. Teria maridado bem com o gaspacho. Com um PVP abaixo dos 3 € é um achado!
4.O almoço
Em mesa posta entre as talhas e com o menir à vista, decorreu o almoço regado pelos vinhos de 2011, provados anteriormente. O colheita a conflituar com o gaspacho (desta vez a sopa de ervilhas à Domingos Soares Franco não apareceu, pois está confinada a Azeitão), mas o Mayor e o J em grande harmonização com carne de porco à alentejana com migas clássicas e de tomate (melhores as primeiras). Com a mousse de chocolate e o abacaxi avançou o belíssimo Moscatel Alambre 20 Anos (engarrafado em 2013). Foi a cereja em cima do bolo!
Mas a grande surpresa veio já quase no final do repasto: foram abertas e provadas 2 garrafas de 1940, em cujos rótulos se podia ler:
o vinho da Casa Agricola José Rosado Fernandes
Reguengos de Monsaraz
Alentejo
telefone 5224
É puro surrealismo esta referência, em pleno rótulo, ao telefone da empresa. Mas nenhuma indicação quanto ao teor alcoólico!
Estas 2 garrafas, com a proveta idade de 74 anos, mostraram-se muito diferentes, mas de perfeita saúde. Uma delas, para mim a mais interessante, fez-me lembrar, tanto no nariz como na boca, um tawny velho. Não se aguentando com a carne de porco, ligou perfeitamente com a mousse. O apaixonante mundo do vinho não para de me surpreeder!
5.Os sortudos
Para memória futura, participaram neste evento:
.Adegga (André Cid, André Ribeirinho e Daniel Matos)
.Comer, Beber, Lazer (Carlos Janeiro)
.Copo de 3 (João Carvalho)
.Enófilo Militante (eu próprio)
.Joli Wine & Food (Jorge Nunes)
.Magna Casta (Ricardo Oliveira)
.O Vinho é Efémero (Elias Macovela)
.O Vinho em Folha (Paulo Mendes)
.Os Vinhos (Pedro Barata)
.Reserva Recomendada (Rui Pereira)
6.A fechar
Cada um de nós levou para casa 2 garrafas de José de Sousa 2011 (o colheita e o Mayor), oferta simpática dos anfitriões. Obrigado Domingos! Obrigado Sofia!

Sem comentários:

Enviar um comentário