terça-feira, 30 de setembro de 2014

Grupo dos 3 (40ª sessão) : Quinta dos Carvalhais em prova

Depois de um longo intervalo de 4 meses (!), este núcleo duríssimo dos 3 (Juca, João e eu) voltou a reunir-se em mais um almoço para provar vinhos às cegas, vindos da minha garrafeira (2 brancos e 1 tinto, todos da Qtª de Carvalhais e, ainda, 1 ice wine austríaco. Este regresso não podia ter sido melhor : o repasto decorreu no restaurante Avenue, com um menú criado pela  Marlene Vieira, uma chefe em ascensão que eu já referi neste blogue por diversas ocasiões. Acresceu um serviço de vinhos de luxo, a cargo do Giscard Müller e Manuel Moreira, escanção já consagrado e colaborador da revista Wine, já nossos conhecidos do GSpot, em Sintra.
Ainda antes da prova, vieram para a mesa o azeite transmontano Distintus, dois patés e uns deliciosos peixinhos da horta crocantes. Começada a degustação, desfilaram:
.Encruzado 2012 - estagiou 6 meses em barricas de carvalho francês; nariz discreto, presença de citrinos e maçãs, fresco e mineral, boa acidez, equilibrado, elegante e harmonioso. Nota 16,5+ (noutras situações 17/17/16/16,5).
Ligou muito bem com cavala marinada e puré de cenoura.
.Branco Especial - resultante de um lote com as colheitas 2004, 2005 e 2006, estagiou um longo período em barricas usadas de carvalho francês (foi engarrafado em Dezembro de 2013); aroma exuberante, presença de fruta madura, notas de frutos secos, alguma gordura, complexidade, madeira muito bem integrada, volume assinalável e final longo. A harmonia que lhe faltava, quando o provei há 3 meses aí está em pleno. Grande branco! Nota 18 (noutra 17,5).
Gastronómico, maridou muito bem com choquinhos em sua tinta e arroz dos mesmos.
.Reserva 2007 - estagiou 1 ano em barricas novas de carvalho francês; nariz afirmativo, notas florais, acidez q.b., elegante, taninos domados, algum volume e final de boca. Esperava maior complexidade. Nota 17 (noutras 17,5/18,5).
Fez companhia a leitão assado e puré de aipo, mas sem brilhar.
.Kracher Grand Cuvée Trockenbeeren Auslese 2004 (10,5 % vol.!) - nariz exuberante, boca complexa, presença de citrinos, frutos secos, acidez equlibrada, notas meladas, volume e final acentuados. Nota 18 (95 pontos no Robert Parker).
Boa harmonia com uma sobremesa de papo d'anjo e gelado caseiro.
Grande "rentré", neste belíssimo espaço, com  gastronomia e serviço de vinhos 5 *!
.

Sem comentários:

Enviar um comentário