terça-feira, 25 de novembro de 2014

Curtas (XLIV) : Wine Spectator, Fugas e provas pagas

1.Wine Spectator
A lista dos melhores vinhos do ano, publicada pela Wine Spectator, provocou, entre nós, um anormal frenesim mediático. Não houve televisão, rádio ou jornal que não tivesse embandeirado em arco, com a notícia que Portugal ocupava 3 lugares entre os 10 melhores: Dow's Vintage, Chryseia e Qtª Vale Meão, todos de 2011.
Mas, que eu saiba, nenhum referiu que o Pintas 2011, embora não tivesse sido incluido nesse Top 10, por mero critério burocrático, obteve a nota mais alta, dada pela mesma Wine Spectator, a um vinho português não fortificado: 98 pontos, isto é, mais 1 que o Chryseia e o Vale Meão.
Quanto à referida pontuação, atribuida em 22 de Janeiro, mais pormenores podem ser lidos em "Pintas 2011 : será desta  vez?", crónica publicada em 28/1/2014, tendo como pano de fundo a não atribuição do prémio enólogos do ano ao casal Sandra T. Silva/Jorge S. Borges, por parte da Revista de Vinhos.
2.Fugas
A Fugas, separata do jornal Público de 22 de Novembro (Sábado passado), toda dedicada ao mundo do vinho (60 páginas!), é de leitura obrigatória por parte de todos os enófilos, militantes ou não.
Entre outros artigos, destaco "O vinho português anda à procura de um perfil mais elegante" (Manuel Carvalho), "Estará a Touriga Franca a destronar a Touriga Nacional?" (Pedro Garcias) e a entrevista com António Barreto, uma figura muito ligada ao Douro, frequentador assíduo das CAV (quando o Juca e eu éramos os responsáveis) e autor de uma intervenção de fundo na brochura comemorativa do 10º aniversário daquela loja.
Disse ele na entrevista "(...) Passei anos em que praticamente só bebia Vintage (...). Depois gradualmente comecei a dosear e descobri os 10, 20, 30, 40 anos, e depois os colheitas com data, que se são bem feitos, caramba, é muito bom. (...)". Assino por baixo!
3.Provas pagas
Recebi há dias um email da Empor Spirits & Wine, anunciando uma prova de vinhos Vanzellers & Co e Qtª Vale D. Maria, a ter lugar na garrafeira da Rua Castilho, amanhã 26 de Novembro, com a presença do Cristiano van Zeller, um dos Douro Boys.
Um programa aliciante, não fora a indicação que a entrada irá custar 5 € (!?), embora dedutíveis em compras, mas apenas dos produtos em prova e no próprio dia da dita.
Nunca, em mais de 13 anos de provas nas CAV, cobrámos um chavo! Nem em qualquer espaço que organize provas, com a excepção mais que justa dos grandes encontros vinícolas, como é o caso da Revista de Vinhos ou da Wine.

Sem comentários:

Enviar um comentário