quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Novo Formato+ (19ª sessão) : 1 branco que desiludiu e 1 tinto que apaixonou...

Mais uma sessão de convívio, comeres e beberes, que decorreu "chez" Alfredo/Ana Maria, sendo os vinhos (1 espumante, 3 brancos, 2 tintos e 1 fortificado) e a gastronomia da responsabilidade deste casal.
O início do repasto foi com o espumante Murganheira Super Reserva 2008, a bebida de boas vindas que se portou bem na sua função. Missão cumprida!
No decorrer do convívio, desfilaram:
.Chateau Rabaud-Promis Premier Grand Cru Classé 2010, um Sauterne - nariz contido, presença de citrinos, alguma acidez e gordura, muito doce, volume e final médio. Nota 16,5.
Não ligou com as entradas (queijo fresco, salmão e enchidos de qualidade). Brilharia com patés.
.Redoma Reserva 2010 - demasiado discreto, mineral, boa acidez, volume médio e bom final de boca; alguma desilusão nesta garrafa que não mostrou a complexidade de outras provadas noutras situações. Nota 16.
Ligou bem com as entradas e com uma saborosa sopa rica do mar.
.Amor de Perdição 2009 (Dão Sul) - com base nas castas T.Nacional e Alfrocheiro; aroma complexo, alguma fruta, notas florais, acidez equilibrada, presença de pimenta e tabaco, taninos vigorosos, mas elegantes, volume e final longo. Era a garrafa nº 89 de 3102. Nota 18.
.Cinquenta A. S. 2009 - com base na casta Castelão, estagiou 18 meses em barricas de carvalho francês; vinho comemorativo dos 50 anos de actividade profissional do António Saramago, produtor e enólogo; aroma exuberante, acidez equilibrada, especiado, notas de chocolate e tabaco, taninos ainda não domados completamente, volume notável e final longo. Um bom exemplar da casta Castelão. Nota 18,5.
Os tintos acompanharam bem um delicioso prato de bacalhau no forno.
.Qtª da Sequeira Grande Reserva 2011 - nariz intenso e complexo, notas tropicais, acidez no ponto, gordura, volume notável e bom final de boca. Nota 18.
Deve ser consumido à volta de 12º e não cerca de 9º, conforme consta no contra rótulo. Ó senhores da Qtª da Sequeira, não podem corrigir esse lapso? Assim induzem o consumidor em erro.
Maridou magistralmente com a tábua de queijos (Manchego, S.Jorge, Serra amanteigado e Niza).
.Niepoort Colheita 1952 (engarrafado em 1973) - aroma retraído, frutos secos, acidez nos mínimos, doçura evidente, volume médio e final longo. Esperava mais. Nota 17+.
Fez boa companhia a uma tarte de côco.
Grande jornada. Obrigado Ana Maria, obrigado Alfredo!

1 comentário:

  1. Sem dúvida mais uma GRANDE JORNADA apenas beliscada pela desilusão causada pelo Redoma.Parabens aos anfitriões-Ana Maria e Alfredo-Abreijos para eles dos amiguinhos Lena e Juca

    ResponderEliminar