terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Grupo dos 3 (42ª sessão) : um Robustus em grande forma

A responsabilidade desta sessão vínica, coube ao Juca que trouxe da sua garrafeira 1 branco, 2 tintos e 1 fortificado, todos a portarem-se bem, sobressaindo o Robustus 2005, em excelente forma. Comparando com as notas atribuidas por mim, em situações anteriores, verifica-se alguma irregularidade na prestação dos vinhos, com especial incidência no percurso errático do Utopia. Por vezes a culpa é da garrafa, noutras vezes é o provador, cujo estado de espírito na ocasião pode originar alguma nota atribuida não muito correcta. Ficamos pela dúvida...
Quanto ao restaurante, remeto as minhas apreciações para a crónica "Grupo dos 3 (23ª sessão)", publicada em 30/5/2012, continuando a recomendá-lo.
Mas vamos aos vinhos provados:
.Redoma Reserva 2008 - nariz contido, presença de citrinos, acidez e vivacidade, madeira discreta, algum volume, mas final curto. Nota 16,5+ (noutras situações 17,5/17+/17,5).
Acompanhou uma entrada de cogumelos e enchidos.
.Utopia 2001 (ainda do tempo do saudoso José Mendonça) - côr algo evoluída, notas vegetais, taninos ainda presentes, algum volume e final longo; elegante. Nota 17,5 (noutras 17,5/17/16/15/16,5/16/16).
Ligou bem com o bacalhau à lagareiro.
.Robustus 2005 - nariz exuberante, fruta vermelha ainda presente, notas florais, boa acidez e frescura, especiado, um toque de chocolate preto, volume apreciável e final extenso. Excelente evolução. Nota 18,5 (noutras 17,5+/17,5).
Maridou bem com uma posta barrosã.
.Moscatel Setúbal Superior JMS 1993 (enologia de António Saramago que o dedicou ao seu pai) - frutos secos, citrinos, alguma acidez, gordura, taninos presentes, algum volume e final longo. Nota 18 (noutra 17,5+).
Casou bem com um quarteto de sobremesas (Serra, sopa de morangos, doce de abóbora e mousse de chocolate).
Mais uma boa sessão de comeres e beberes. Obrigado, Juca!


Sem comentários:

Enviar um comentário