quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Jantar Lavradores de Feitoria

Foi o 40º jantar vínico organizado pela Garrafeira Néctar das Avenidas, que contou com a presença do Paulo Ruão, administrador e responsável pela enologia dos Lavradores de Feitoria. O João e a Sara Quintela estão de parabéns. O repasto, orientado pelo chefe João Bandeira, teve lugar no Via Graça (2 Garfos no último Lisboa à Prova) e decorreu da melhor maneira: boa gastronomia, boas harmonizações, bom ritmo, bom serviço, bons copos e temperaturas correctas dos vinhos apresentados.
Quanto à componente vínica, desfilaram:
.Lavradores de Feitoria 2013 - um branco agradável, fresco, descomplicado, a cumprir bem a sua função; boa qualidade para um vinho de gama de entrada. Nota 15.
Acompanhou bem pataniscas, patés e croquetes (excelentes os de caça).
.Três Bagos Sauvignon 2013 - fresco, mineral, algum tropical, notas leves de espargos e fumo, acidez equilibrada, volume e final médios. Nota 17.
Maridou com camarão à Macau e molho tártaro.
.Meruge 2012 - côr muito aberta, aroma sofisticado, fresco, toque adocicado, taninos finos e persistentes, final longo; estilo borgonhês, a precisar de mais 5/6 anos de garrafa. Nota 17,5.
Casamento perfeito com uma excelente perna de pato confitada.
.Três Bagos Grande Escolha 2008 - vinificado em lagar com pisa a pé, estagiou 12 meses em barricas novas de carvalho francês; côr concentrada, acidez q.b., especiado, notas de chocolate e tabaco, taninos imponentes mas não agressivos, grande volume de boca e final longo. Em forma mais 7/8 anos. O Douro no seu melhor! Nota 18,5+.
Harmonizou bem com o prato de javali com castanhas.
.Três Bagos Colheita Tardia 2010 - com base na casta Semillon, vindimada em Dezembro - nariz contido, acidez e elegância, alguma gordura (podia ter mais), volume e final médios; equilibrio entre a gordura e a acidez. Curiosamente (ou não), cativou-me mais quando da sua apresentação. Nota 17+.
Mais uma boa jornada!
.

Sem comentários:

Enviar um comentário