quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Vinhos em família e não só (LX) : esperar é preciso...

Mais 4 vinhos (3 tintos e um colheita tardia) provados em família ou com amigos, a darem muito boa conta de si. Comparados com outras garrafas das mesmas marcas, provadas por mim, noutras situações e pouco tempo depois de terem saído para o mercado, vieram confirmar que não deve haver pressa em consumir estes néctares, situados numa gama alta de qualidade. O tempo em garrafa só lhes faz bem.
1.Em família
.Qtª do Crasto Vinha da Ponte 2007 - aroma complexo, especiado, notas de tabaco e chocolate preto, acidez equilibrada, taninos firmes, grande volume de boca e final muito longo. Divinal! Prevejo-lhe uma apreciável longevidade, podendo ser bebido, por quem ainda o tiver, nos próximos 8 a 10 anos! Nota 19 (noutras situações 18,5/18).
.Qtª do Mouro Rótulo Dourado 2007 - ainda muito jóvem, muita fruta presente, boa acidez, notas de lagar, taninos musculados mas não agressivos, apreciável volume e extenso final de boca. Teve o azar de ter sido provado em paralelo com o Vinha da Ponte. Nota 18 (noutra 18,5).
.Grandjó Late Harvest 2008 - exclusivamente baseado em uvas da casta Semillon, afectadas pelo fungo botrytis cinerea; nariz exuberante, presença de citrinos, acidez no ponto, gordura evidente, volume e final de boca de boa dimensão. Todo ele muito equilibrado, bebê-lo em copo Riedel Sauterne fez a diferença. Nota 17,5+ (noutra 16,5+).
2.Com amigos, no restaurante da Associação 25 de Abril
.Pintas 2007 - ainda com muita juventude e fruta, fresco, acidez equilibrada, especiado, notas de chocolate, volume assinalável e final de boca muito longo. Ainda muito longe da reforma, pode ser bebido nos próximos 7/8 anos. Nota 18,5 (noutra 17,5+).

2 comentários:

  1. O Sr. só bebe coisas boas. Se tiver mais consigo avise que eu também quero. Andreia Joana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estimada Andreia,
      Obrigado pelo interesse. Se fosse minha nora teria hipóteses de provar algo mais.

      Eliminar