terça-feira, 14 de abril de 2015

Rescaldo das férias (Monte Real, São Pedro de Moel, Nazaré...)

1.Monte Real
O Palace Hotel Monte Real é um deslumbrante hotel de 4 *, que nem sequer é caro (nesta altura do ano, claro). Óptimo para carregar baterias, pôr as leituras em dia, namorar ou fazer tratamentos termais. Renovado e ampliado recentemente, disponibiliza quartos espaçosos e modernos, pequeno almoço de luxo e amplo espaço envolvente.
O restaurante é sofisticado, a cozinha é de autor e o serviço profissional e simpático. Em contrapartida, a lista de vinhos é desinteressante, os anos de colheita não constam e a oferta de vinhos a copo é diminuta.
No jantar do dia de chegada, após um almoço miserável numa das estações à beira da A8, comi um belíssimo tamboril em marinada de citrinos com risoto de manjericão e legumes. Acompanhou um agradável copo do branco Qtª do Carmo 2013 (nota 16,5). A garrafa veio à mesa e o vinho dado a provar. No entanto, reparei que os tintos estavam à temperatura ambiente. Um hotel desta classe merecia dar mais atenção e estes pequenos, mas importantes, pormenores.
A povoação é um susto. Incaracterística e feia, parece ter parado no tempo, a ajuizar pelos nomes de algumas ruas: Doutor Oliveira Salazar, Marechal Carmona e 28 de Maio!
2.São Pedro de Moel
Fiz o trabalho de casa e levava a indicação de 2 restaurantes, o Estrela do Mar e o Brisamar. Duplo azar: o primeiro estava fechado e, no segundo, o contacto prévio correu tão mal (não precisarão de clientes, nesta altura do ano?) que fizemos agulha para o Hotel Mar e Sol, cujo restaurante abriu simpaticamente para nós (não havia mais nenhum cliente).
Comemos um saborosíssimo e avantajado arroz de cherne, camarão e berbigão. A  lista de vinhos era igualmente desinteressante, os anos de colheita também omissos e, a copo, apenas o da casa. Escolhi uma meia garrafa de branco Monte Velho 2013 (nota 15,5), fresco, correcto e agradável, cumpriu bem a sua missão.
A garrafa foi mostrada e o vinho dado a provar. Serviço simpático, a cumprir os mínimos.
3.Nazaré
Na marginal desta terra, mesmo junto à praia, está instalada a Taverna do 8 ó 80, restaurante/winebar/tapas/ginspot, cujo dono, Abel Santos de seu nome, também é proprietário da conhecida Taberna da Adélia.
Numa das pareder é exibido um diploma da Revista de Vinhos, o "1º Prémio da Melhor Carta de Vinhos a Copo 2013".
Este espaço é uma agradável surpresa mas, simultaneamente, com algumas contradições.
A lista de vinhos é monumental, são 50 páginas A4, traduzindo-se nalgumas centenas de vinhos! Os preços são muito cordatos, nomeadamente os mais categorizados, apenas um pouco mais que o seu custo em garrafeiras.
A copo, uma aposta forte da casa, inventariei 21 brancos, 4 rosés, 20 tintos, 27 Portos e 4 Moscateis. A lacuna é nos Madeiras. Apenas têm o Alvada, embora não conste da lista. É ainda possível provar vinhos a copo de qualquer uma outra referência abaixo dos 20 €, sendo debitado 25 % do preço da garrafa.
Aqui vale a pena comer tapas/entradas/petiscos para partilhar. Assim vieram para a mesa, em doses generosas:
.tabua com diversos produtos (pataniscas, feijão frade e mini pizza) à base de carapau seco
.pimentos padron
.wrap de cavala
.ovos rotos com bacalhau
.cogumelos recheados com farinheira
.batatas bravas com polvo ou bacalhau
A acompanhar, avançaram 2 copos, um de branco e outro de tinto:
.Anselmo Mendes Curtimenta Alvarinho 2014 (3,50 €) - nariz intenso, frutado, notas tropicais, acidez q.b., alguma gordura, gastronómico. Vai melhorar com mais algum tempo de garrafa. Nota 16,5.
.Manoella 2012 (6 €) - fruta vermelha presente, acidez equilibrada, taninos evidentes, alguma rusticidade, volume e final de boca assinaláveis. Também precisa de mais uns anos para se mostrar plenamente. Nota 17+.
Curiosidades:
.apesar da existência de vários armários térmicos,os tintos estão à temperatura ambiente, embora corrijam na hora (disseram-me que são os clientes que querem assim!)
.o copo do branco tinha gravada a marca Nostalgia, o tinto Andreza, a manga Casa Cadaval e o drop-stop Noval, uma miscelânia...
.no fim do repasto, ainda me ofereceram uma garrafa de branco Vale da Mata 2013!
Apesar das contradições apontadas, recomendo vivamente este espaço. Grande oferta de vinhos, gastronomia petisqueira de qualidade, serviço profissional e simpatia a rodos.
À atenção dos enófilos!

Sem comentários:

Enviar um comentário