terça-feira, 19 de maio de 2015

Grupo dos 3 (46ª sessão) : Pai Abel em alta num almoço de luxo

Mais uma entusiasmante sessão deste núcleo duríssimo. Os vinhos sairam da minha garrafeira e o restaurante, escolhido por mim, foi o Lisboète, já aqui elogiado em "Almoçar no Lisboète", crónica publicada em 1/3/2015. O almoço foi de luxo, com um menú criteriosamente concebido pelo chefe Walter Blazevic e o serviço de vinhos, orientado pela Mariana Monte, de 5 estrelas.
Vamos, então, aos vinhos (2 brancos, 1 tinto e 1 Colheita) que se portaram muito bem. Desfilaram:
.Pai Abel "Chumbado" 2011 - aroma austero, presença de citrinos, fresco e mineral, acidez no ponto, elegante, volume e final médios. Nota 17 (noutra situação 17,5).
Este 1º branco acompanhou bem o amuse bouche (folhado de garoupa com mousse de bróculos) e a entrada fria (atum e camarão com ratatouille, puré de abacate e beringela).
.Pai Abel 2009 branco - nariz exuberante e complexo, fruta madura, acidez q.b., alguma gordura, grande volume de boca e final persistente. Um grande branco ainda longe da reforma. Nota 18+ (noutras 18+/17,5).
Este 2º branco harmonizou com a entrada quente (risotto com flor de courgette recheada e polvinho) e o prato de peixe (tamboril aromatizado com curcuma, ameijoas, funcho e batata).
.Pai Abel 2009 tinto - ainda muito jóvem e frutado, acidez equilibrada, taninos bem presentes, grande volume e final de boca extenso. Ainda não cresceu tudo, bebê-lo agora é pura pedofilia. Precisa de mais alguns anos para atingir o apogeu. Nota 18 (noutra 18,5).
Este tinto fez um feliz casamento com o prato de carne (porco bísaro com migas de chouriço e espargos).
.Krohn Colheita 1978 (engarrafado em 2009) - aroma exuberante, presença de frutos secos, notas de iodo, caril e mel, acidez no ponto, volume assinalável e final longo. Nota 18,5 (noutras 17,5 com data de engarrafamento desconhecida/18,5+ engarrafada em 2008).
Este fortificado acompanhou um belíssimo "pijaminha" de sobremesas (sericaia, creme de ginja, financier de pera, compota de ameixa e figo e, ainda, sorvete de ginja).
Uma grande sessão com vinhos de excepção e uma harmonização de luxo, num restaurante que se recomenda vivamente.

Sem comentários:

Enviar um comentário