terça-feira, 12 de maio de 2015

Porto Colheita versus Porto Vintage

Já tenho referido, por mais de uma vez, o meu gosto pelo Porto Colheita e, também, pelos tawnies de idade, nomeadamente os 30 e os 40 Anos. No meu último balanço "Quadro de Honra de Vinhos do Porto", crónica publicada em 14/8/2014, inventariei 30 destes fortificados classificados com 18,5 pontos ou mais (18 Colheitas, 8 de idade, 10 Vintage e 2 brancos velhos), a que se somaram 3 Colheitas e 1 com 40 Anos, já provados no corrente ano.
Curiosamente a Fugas (separata do Público, saída aos Sábados), publicada em 2 de Maio sob o tema "Especial Vinhos", inseria um artigo do jornalista Manuel Carvalho, especializado e com obra publicada sobre o Vinho do Porto, com o sugestivo título "No vinho do Porto há algo de novo no ar: os velhos Colheita".
Não resisto a transcrever algumas passagens do mesmo:
."Os últimos 30 anos do vinho do Porto sublimaram a grandeza dos Vintage e remeteram os Colheita, um estilo bem mais português, para uma certa subalternidade. Mas isso está a mudar. Os Colheita valorizam-se, as raridades do século XIX atingem valores milionários e os Vintage já não estão sozinhos no céu"
."A verdade é que um bom Colheita, dos anos de 1990, ligeiramente refrescado e servido à sobremesa com leite de creme ou como entrada com foie gras é uma experiência que vale a pena"
."Na Feitoria inglesa, o santuário dos Porto vintage, já há provas de Colheita (...) as empresas começam a pôr as duas categorias no mesmo patamar de comparação (...)"
."Um Colheita de um grande ano, que foi bem acompanhado ao longo da sua vida, pode chegar aos nossos dias com uma intensidade, uma complexidade e uma sofisticação de aromas e sabores capazes de rivalizar (e ultrapassar, digo eu) com os grande Vintage"
."As efemérides são também comemoradas com edições especiais, como o Kopke de 1974 (eu creio que o autor se enganou e queria antes dizer Barros 1974, já aqui referido) destinado a comemorar os 40 anos do 25 de Abril (...)"
."(...) O facto de haver clientes espalhados pelo mundo para os adquirir (alguns Colheita que custam milhares de euros, esclareço) são afinal mais uma prova do extraordinário potencial dos Colheita para disputar aos Vintage o lugar cimeiro no estatuto do vinho do Porto".
Eu estou totalmente de acordo e assino por baixo!

Sem comentários:

Enviar um comentário