terça-feira, 9 de junho de 2015

Curtas (LX) : o Mercado do CCB, a Casa de Darei e a Varanda Azul

1.O Mercado do CCB
Reforçando o que já disse, anteriormente, em "Curtas (XXVIII)" e "Curtas (LI) : livros, mercados, cozido e cabrito", crónicas publicadas em 22/4/2014 e 17/2/2015, respectivamente, recomendo àqueles que não o conhecem que o façam, especialmente pelos produtos gourmet e afins. Produtos da terra, fruta da época, conservas e compotas, enchidos e queijos, mel, frutos secos, azeite, etc, podem lá ser comprados. É o que eu faço todos os primeiros domingos de cada mês.
Entre tanta coisa boa, permito-me destacar, entre outra as bancas "Doces da Paulinha - escabeches & compotas" (coelho vilão, codoniz de escabeche, cogumelos em conserva e cebola confitada, todos de grande qualidade), "A minha tarte de amêndoa" de Susana Cavaco (não, não é da família, é só coincidência...), que se especializou em chutneys e já fez capa na revista Visão, "Portney portuguese chutneys" com 12 referências de chutneys, uns mais picantes e outros não tanto, "tudo à porta" (alheiras, queijos, azeitonas, flor de sal e sal marinho) e "Tradições do Campo" (onde costumo comprar o azeite São Mamede).
O próximo dia de mercado é em 5 de Julho. Lá estarei!
2.A Casa de Darei
Estive há pouco tempo numa prova de vinhos deste produtor de vinhos do Dão. Embora não seja meu costume escrever sobre este tipo de provas, é de inteira justiça destacar o lançamento de um vinho com mais de 10 anos de idade, o José 2004, ainda muito fresco, fino, elegante e harmonioso. Segundo afirmou Carlos Ruivo, director comercial da Casa de Darei, o lançamento deste vinho é uma homenagem ao seu pai e fundador da empresa, José Manuel Ruivo de seu nome.
Tiro-lhes o meu chapéu e acho que é um caminho a seguir pelos produtores de referência. Que eu saiba, apenas os Lavradores de Feitoria lançaram há pouco tempo uma nova edição do seu Grande Escolha 2005, aditando ao rótulo "Estágio Prolongado".
3.Varanda Azul
Passados alguns anos, regressei ao restaurante do clube das minhas simpatias, o Beleneneses, que tem passado por altos e baixos (ambos, o clube e o restaurante).
Na respectiva página do facebook, afirmaram "(...) o melhor da gastronomia tradicional portuguesa e Sushi (...)". Fui com umas pessoas amigas, mais ou menos militantes da cozinha japonesa. E foi com o maior espanto que nos disseram que naquele dia não havia sushi. É como se fossemos a uma enoteca provar uns vinhos e nos afirmassem que naquele dia só gin ou cerveja! Francamente...
Quanto a vinhos, constatei alguns preços demenciais e, a copo, apenas o vinho da casa!
Estamos conversados...

Sem comentários:

Enviar um comentário