quinta-feira, 16 de julho de 2015

No rescaldo da visita à Real Companhia Velha (II) : a Pousada de Viseu e a Casa da Insua

...continuando...
1.A Pousada de Viseu
A 2ª etapa teve como destino a Pousada de Viseu, mandada construir por D. Maria I em finais do séc. XVIII/princípio do séc. XIX e magistralmente recuperada em 2009 pelo arqº Gonçalo Birne, depois de ter servido como hospital uma série de anos. Vale a pena conhecê-la.
De referir a sala "Cigar and Wine Lounge", muito bem decorada com expositores com origem em caixas de madeira para vinhos. Logicamente era de esperar uma montra de vinhos Dão, com base nos produtores mais emblemáticos da Região, mas não, a Dão Sul tem o exclusivo (embora, no pequeno almoço,o espumante fosse o Danúbio da Aliança! Contradições...).
O restaurante não está à altura da Pousada, com tempos de demora para a sopa do dia de mais de 30 minutos! Quanto a vinhos de mesa/consumo inventariei (entre parêntesis os vinhos a copo) 1 champanhe, 1 espumante, 9 brancos (4), 11 tintos (3) e 1 rosé. Os fortificados (4 Portos, 1 Madeira e 1 Moscatel) estavam todos disponíveis a copo. Lamentavelmente não constam os anos de colheita e os preços são, em grande parte, demenciais.
2.A Casa da Insua
A Casa da Insua data do séc. XVIII e inclui, desde há pouco tempo, um restaurante e um hotel de charme. Os interiores do palácio, assim como os jardins (o francês e o inglês), o museu e a queijaria merecem uma visita. Foi o que fiz, com pretexto de lá ir almoçar.
A sala do restaurante situa-se num espaço sóbrio mas, simultaneamente, requintado. Tem uma cozinha tradicional com qualidade e um serviço eficiente e super simpático. E, ainda, um belíssimo azeite.
Quanto a vinhos, a lista é curta e muito centrada nas bebidas deste produtor, mas com os anos de colheita omissos e, por outro lado, a carta separa os verdes dos maduros, um erro que não se compreende, mais a mais num restaurante de um produtor de vinhos. Os preços são interessantes, como por exemplo, Carrocel a 65 €, Poeira a 54 € e Vinha Paz Reserva a 25 €. C
A copo, apenas 4, espumante,branco tinto e rosé (1 referência de cada).
Optei pelo rosé Casa da Insua 2014 (2,50 €) - austero no nariz e na boca, final muito seco e gastronómico. Uma boa surpresa. Nota 15,5.
Acompanhou bem toda a refeição (couvert, entrada de alheira, chouriço e morcela em cama de espinafres e, ainda, arroz de cabrito com cogumelos e castanhas).
A garrafa veio à mesa e o vinho dado a provar em copo da Vista Alegre. Têm um armário térmico, mas os tintos a copo estão à temperatura da sala, o que não se compreende.
Poderá ser um espaço de referência, mas desde que sejam corrigidos os aspectos negativos apontados.
À atenção dos responsáveis pela Casa da Insua. Os clientes agradecem.
continua...

1 comentário:

  1. ínsua... gostei do branco, provado no dão capital.

    ResponderEliminar