terça-feira, 22 de setembro de 2015

Almoço com vinhos fortificados (20ª sessão) : Soalheiro, mais uma vez

Passado praticamente 1 ano (ver crónica "Almoço com Vinhos da Madeira (15ª sessão) : (...)"), publicada em 9/9/2014, tivemos a oportunidade de voltar a S. Francisco da Serra, chez Juca/Lena que nos disponibilizaram todas as bebidas (2 espumantes, 3 brancos, 2 tintos, 1 Madeira e 1 Porto) e comidas.
Antes de falar nos vinhos bebidos ao longo do repasto, não é demais referir a excelência dos comes servidos, nomeadamente o bacalhau à Juca e, mais uma vez, um rabo de boi de 5 estrelas. Souberam-me divinalmente, até porque regressava do estrangeiro, onde andei a comer coisas assim assim.
Entrando nos vinhos, fomos recebidos com 2 espumantes, Luis Costa e Qtª Poço do Lobo, ambos de 2013 e a cumprirem a sua função. De seguida, desfilaram:
.Soalheiro Alvarinho 2014 - nariz contido, presença de citrinos e algum tropical, acidez equilibrada, alguma estrutura e final de boca. Ainda está muito novo neste momento, melhorará nos próximos 2/3 anos. Nota 17 (noutra situação, também 17).
Acompanhou uma série de pequenas entradas.
.Soalheiro Alvarinho 1ª Vinhas 2013 magnum - nariz mais sofisticado, maior complexidade, acidez e mineralidade, alguma gordura e volume, bom final de boca. Também vai melhorar com a idade. Nota 17,5+.
Acompanhou o bacalhau.
Entre esta entrada e o prato principal, foi servido um agradável limpa palatos, à base de maracujá. Nota: apesar de ter funcionado bem, não substitui o habitual Madeira.
.Castelo d' Alba Reserva 2012 magnum - com base nas castas Tinta Roriz, Touriga Franca e Touriga Nacional, estagiou em barricas de carvalho francês e americano; nariz afirmativo, muito frutado e fresco, acidez correcta, estrutura média e final adocicado. Nota 17.
.CARM Maria de Lourdes 2008 - aroma sofisticado, acidez no ponto, notas fumadas, algum chocolate e tabaco, volume assinalável e final longo. Um belo Douro. Nota 18 (noutra, também 18).
Estes 2 tintos maridaram com o rabo de boi, acima referido.
.Soalheiro Alvarinho Reserva 2011 - presença de citrinos e alguma fruta madura, acidez no ponto, volume e média persistência. Nota 17,5 (noutras 17+/17,5+/17,5+).
Esteve bem com a excelente e variada tábua de queijos (Serpa, Graciosa-Açores, Niza, Serra e Castelo Branco curado), servida com o imbatível pão da D. Ercília da Brunheira de V. N. Mil Fontes.
.Cossart Gordon Bual 1969 (sem data de engarrafamento) - nariz exuberante, notas de iodo, brandy e frutos secos, vinagrinho presente, álcool demasiado evidente (pareceu-me) e final muito longo. Nota 18 (noutra 18,5+).
Acompanhou um bolo rançoso.
.Vista Alegre 40 Anos (engarrafado em 2001) - não cheguei a provar, pois já tinha a minha conta de álcool...
Foi mais uma grande sessão de convívio, beberes e comeres, com o Juca inspiradíssimo nos tachos.
Obrigado anfitriões e até para o ano!

Sem comentários:

Enviar um comentário