quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Rescaldo da ida ao Douro (II) : Manjar do Marquês e B & W

A 1ª paragem foi no Manjar do Marquês, já aqui referido por diversas vezes, a última das quais em "No rescaldo da visita à Real Companhia Velha (I) : o Manjar do Marquês", crónica publicada em 14/7/2015.
Com uma manifesta falta de imaginação, repetimos a ementa, ou seja, uns imbatíveis filetes de pescada e pasteis de bacalhau. Como sobremesa o doce da D. Lourdes.
Tinha pedido, para acompanhar o vinhos da semana, mas o Paulo Graça, simpaticamente e uma vez mais, trouxe à mesa um verdadeiro mimo, o Carrocel 2011 (2º engarrafamento) - complexidade aromática, especiado, notas balsâmicas, chocolate preto e couro, acidez no ponto, taninos finos, volume assinalável e persistência final. Um grande Dão, servido em copo Riedel. 85 pontos no Parker. Nota 18,5.
Um belo almoço e barato. Começámos bem esta ida ao Douro.
Na 2ª paragem ficámos no B & W, um hotel rural de 4 estrelas, sediado em Pombeiro da Beira, oferecendo aos passantes quartos e comodidades inesperadas e espectaculares. Embora não muito afastado de Arganil, nasceu num sítio que não lembra a ninguém.
A sala de jantar, onde fizémos uma refeição leve, tem janelas e portas envidraçadas a toda a volta. Os pratos são Vista Alegre e os copos Luigi Bormioli, uma marca italiana. Uma boa surpresa.
A carta de vinhos é pouco arrojada e os anos de colheita foram omitidos. Mas, em contrapartida, todos podem ser provados a copo e à temperatura correcta.
(continua...)

Sem comentários:

Enviar um comentário