quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Lagar do Cais : uma aposta fracassada nos vinhos

Aberto em Abril deste ano, este Lagar do Cais Bar & Restaurante de Tapas, situado na Rua de São Paulo, 27 (mesmo em frente à Casa de Pasto), apostou fortemente na componente vínica. Parte de uma das paredes está forrada com tampas de caixas de madeira, parecendo-me que eram todas de vinhos da Herdade do Esporão (parceiros no negócio?) e, na separação do restaurante propriamente dito com o wine bar, gravado em vidro, pode ler-se "Os melhores vinhos são aqueles que são divididos com os amigos".
Por outro lado, a carta de vinhos é confusa e desarrumada, omitindo os anos de colheita. A copo disponibilizam 6 brancos, 6 tintos, 1 espumante e 3 champanhes, a preços acessíveis. Comecei por pedir um tinto, mas, logo que me apercebi que estava à temperatura da sala, fiz o desvio para um branco. Francamente, num espaço que aposta nos vinhos é obrigatório ter armários térmicos para controlo da temperatura e humidade dos tintos. Senão, é mais um restaurante igual a tantos outros. Francamente!
Mas o Lagar também tem coisas boas, começando logo pelo espaço, repleto de abóbodas à base de tijolo burro, agradável e confortável, guardanapos de pano e música de fundo a meu gosto, embora demasiado alta.
Ao almoço, de 3ª a 6ª feira têm um menú do dia. Por 11 €, tem-se direito ao couvert (2 ou 3 variedades de pão ainda morno, paté de chouriço e azeite misturado com azeitonas e tremoços (!?)), sopa (era gaspacho), prato (polvo à Lagareiro, em dose abundante), vinho a copo e café. Baratíssimo, para uma refeição completa.
Depois de gorada a escolha do tinto, avançou o branco (à escolha entre 2) Assobio 2014 - nariz discreto, muito frutado, boa acidez, volume e final médios. Muito agradável, acompanhou bem o gaspacho, mas não aguentou o polvo. Nota 16,5.
A garrafa veio à mesa e o vinho dado a provar num copo razoável e servida uma boa quantidade.
Em conclusão, O Lagar do Cais é um espaço muito agradável, mas que, infelizmente, não posso aconselhar aos enófilos.

Sem comentários:

Enviar um comentário