sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Provando Vinhos do Alentejo

Precisamente há uma semana estive no evento "Azeites e Vinhos do Alentejo", patrocinado pela CVRA e Casa do Azeite, que decorreu no CCB (tenda exterior). Pareceu-me bem organizado, com espaço suficiente para a multidão de visitantes poder circular entre as 76 bancas de produtores alentejanos, sem atropelos de maior.
Estavam à prova centenas de vinhos, dos quais apenas consegui degustar uma ínfima parte, precisamente 29 referências, todas tintos. Dos vinhos por mim provados, pouco mais de metade (51,7 %) era de colheitas mais recentes, ou seja, de 2012 e 2013. Confesso que não estava nada à espera de ir provar vinhos já com alguns anos em cima, sendo 8 de 2011 (27,6 % do total), 3 de 2009 e 1 de 2007, 2008 e 2010, o que seria impensável aqui há alguns anos atrás. Tiro o meu chapéu aos produtores que aguentaram os seus vinhos nas respectivas adegas, resistindo à tentação de os porem logo no mercado e realizarem a correspondente quantia.
O vinho que mais me surpreendeu, em primeiro lugar, foi o Nunes Barata Grande Reserva 2011 (projecto que já não é do meu tempo nas Coisas do Arco do Vinho). Grande vinho! Também me ficaram na memória, no mesmo patamar: Monte dos Cabaços Reserva 2008, Telhas 2011 e Qtª do Mouro Rótulo Dourado 2010. E, logo a seguir: Tiago Cabaço Vinhas Velhas 2013, Blog 2011, Pedra Basta 2011, Terrenus Reserva Vinhas Velhas 2012, Malhadinha T.Nacional 2013, Palpite Grande Reserva 2012, Procura 2013, Mouchão 2009, Herdade das Servas Reserva Vinhas Velhas 2012, Qtª da Viçosa Aragonês/Petit Verdot 2012, Cartuxa Reserva 2012, Pinga Amores Reserva 2012 e Lima Mayer Petit Verdot 2011.
Por último, gostei de reviver memórias passadas com o Richard Mayson, produtor de vinhos (sócio do Rui Reguinga no projecto Sonho Lusitano Vinhos) e autor de diversos livros (Port and the Douro e The Wines and Vineyards of Portugal, entre outros), que chegámos a vender nas CAV.
E, para o ano, há mais...

Sem comentários:

Enviar um comentário