domingo, 22 de novembro de 2015

Grupo dos 3 (47ª sessão) : Robustus e Bastardinho em alta

Passados uns longos 5 meses, este núcleo duro (Juca, João Quintela e eu) voltou a reunir-se para mais um almoço com provas às cegas. O responsável por esta sessão foi o João que escolheu o restaurante principal do Corte Inglês e levou os vinhos (2 brancos, 1 tinto e 1 fortificado).
Desfilaram:
.Soalheiro Alvarinho 2000 - côr carregada, nariz neutro, boa acidez, alguma gordura e volume; vinho polémico e nitidamente oxidado, colidiu com a gastronomia, mas ligou bem com frutos secos. Poucos brancos portugueses, com esta idade, estarão bebíveis (excepção feita aos fabulosos vinhos das Caves São João). Nota 17.
.Qtª Monte d' Oiro Madrigal 2013 -  nariz mais afirmativo, presença de citrinos, acidez no ponto, fresco e mineral, final persistente, gastronómico, ligou muito bem com as entradas (salada de lagosta com fruta tropical e atum braseado com puré de batata). Nota 17,5.
.Robustus 2005 - aroma exuberante, ainda muito frutado apesar dos seus 10 anos de idade, fresco e elegante, especiado, taninos civilizados, bom volume e final muito longo. Ainda londe da reforma, pode ser bebido nos próximos 5/6 anos. A robustês dos primeiros anos, transformou-se em complexidade e "finesse". Nota 18,5+ (noutras situações 17,5+/17,5/18,5).
Harmonizou muito bem com o prato principal (burras de porco estufadas, com favas e puré das mesmas).
.Bastardinho 30 Anos - frutos secos, notas de brandy e caril, algum vinagrinho, volume assinalável e final interminável. Autêntico perfil de um Madeira, só que não era, para nossa surpresa. Nota 18,5.
Maridou com um crepe suzete.
Resumindo: gastronomia à altura e serviço de vinhos muito profissional (bons copos, temperaturas adequadas, etc).
Mais uma boa sessão deste Grupo dos 3. Obrigado João!

Sem comentários:

Enviar um comentário