sábado, 26 de dezembro de 2015

Vinhos em família (LXVII) : tintos 2008 versus 2009

Mais 5 vinhos bebidos com a família, sem a pressão da prova cega. Foram todos tintos,  sendo 2 da colheita de 2008 e 3 de 2009, mas bebidos separadamente.
.Poeira 2008 - notas florais, fresco e elegante, bela acidez, especiado, taninos de veludo, algum volume e bom final de boca; em forma mais 5/6 anos. Nota 18.
.Carrocel 2008 - também muito fresco e elegante, mas mais complexo e especiado, notas apimentadas e de chocolate, taninos suaves, bem estruturado e final longo; aguenta bem mais 7/8 anos. Nota 18,5.
.Qtª Vale D.Maria 2009 (engarrafado em Julho 2011) - nariz contido, alguma fruta vermelha, notas especiadas com a pimenta muito presente, acidez no ponto, elegante, taninos civilizados, algum volume e final persistente. A  consumir nos próximos 3/4 anos. Nota 18.
.Herdade Grande Colheita Seleccionada 15 Vindimas 2009 - com base nas castas Cabernet, Alicante, Syrah e Aragonês, estagiou 12 meses em barricas de carvalho (francês, português e americano) e outros 12 em garrafa; frutado, fresco, acidez equilibrada, notas de couro e tabaco, taninos presentes e civilizados, algum volume e final de boca. Pode esperar mais 2/3 anos para atingir o seu ponto máximo. Nota 17,5+.
.Monte dos Cabaços Colheita Seleccionada 2009 - notas balsâmicas e especiadas, acidez equilibrada, elegante, volume médio e final longo. Excelente relação preço/qualidade, no ponto óptimo para ser consumido. Nota 17,5.
Conclusão: vantagem da colheita de 2008, em relação à de 2009, pelo menos em relação a estes vinhos agora provados.

1 comentário:

  1. no dia 24 foi um bageiras garrafeira de 2008... é verdade que infanticídio, mas ligou muito bem com o bacalhau bem regado a azeite.

    ResponderEliminar