domingo, 3 de janeiro de 2016

2015 : na hora do balanço (I) - Introdução e TOP 10 de brancos

Introdução
À semelhança dos anos anteriores, inicio com esta crónica o balanço do ano 2015, nomeadamente quanto aos melhores em cada categoria. Os vinhos melhor pontuados foram provados no âmbito dos grupos em que participo (Grupo dos 3, Novo Formato+ e Grupo dos Madeiras), em jantares vínicos, em família e/ou com amigos e, ainda, bebidos em restaurantes. Ressalvo, em relação aos vinhos seleccionados, que não incluo nenhum degustado em painéis de prova ou em provas alargadas, sem as condições indispensáveis a uma boa prova. Também, salvo situações excepcionais, não incluí nenhum vinho constante em balanços anteriores.
Começarei pelos vinhos brancos e, em próximas crónicas, serão tratados os tintos, fortificados, restaurantes (a componente vínica), eventos em que participei, crónicas mais lidas e países de origem dos seguidores.
TOP 10 de brancos
1.Soalheiro Alvarinho Reserva 2007 (é a excepção aos vinhos incluídos em balanços anteriores, mas é, para mim, o grande branco português; das 12 garrafas provadas e registadas, ao longo de alguns anos, só 2 foram pontuadas abaixo de 18)
2.Pai Abel 2009
3.Soalheiro Alvarinho Reserva 2012
4.Soalheiro Alvarinho 1ª Vinhas 2012
5.Soalheiro Alvarinho 1ª Vinhas 2008
6.Mapa Vinha dos Pais 2013
7.Gurú 2008
8.Carvalhas 2011
9.Secretum 2012
10.RCV Séries Samarrinho 2013
Não entraram no TOP, mas podiam estar (têm a mesma pontuação do último): Grandjó Late Harvest 2008, Poço do Lobo Arinto 1995, Soalheiro Alvarinho 1ª Vinhas 2013 e 2014, Anselmo Mendes Parcela Única Alvarinho 2011, Horácio Simões Grande Reserva Vinhas Velhas 2013, Dão António Madeira 2013 e Palpite David Booth & António Maçanita Reserva 2013.
Não estão nesta selecção, mas são sempre a minha defesa na restauração, graças à sua belíssima relação preço/qualidade: Prova Régia Reserva, Catarina e Esporão Reserva.
Finalmente, é de salientar:
.a inclusão de 4 brancos da década anterior (2007, 2008 e 2009)
.a presença clara e permanente da marca Soalheiro (agora com 4 vinhos Alvarinho seleccionados)
.a surpresa de alguns brancos, normalmente arredados das provas em que tenho participado e pouco ou nada badalados (Mapa, Carvalhas, Secretum e Séries Samarrinho).

3 comentários:

  1. Caro, concordo consigo relativamente ao Soalheiro Reserva 2007. Para mim está também pelo menos no top 3 dos vinhos nacionais provados de sempre. Ainda neste fim de 2015 bebeu-se uma garrafa que estava magistral!
    Um bom ano de 2016
    Rui Figueiredo

    ResponderEliminar
  2. Caro Rui Figueiredo,
    Bons olhos (em sentido figurado, claro) o vejam por aqui. Estamos na mesma onda, pelo menos quanto ao Soalheiro.
    Um bom ano e um abraço,
    F.Barão da Cunha

    ResponderEliminar
  3. relembrando que deixo sempre de fora provas em eventos e incluo apenas jantares ou almoços (não forçosamente em casa, claro).

    brancos provados em 2016, por esta ordem, teve que ser top11:

    Cortes de Cima 2013
    Herdade do Esporão Verdelho 2014
    Domaine de Châtenoy, Isabelle et Pierre Clément (sauvignon blanc do loire) 2013
    lindenhof pinot blanc 2012
    Esmero 2014
    Vallado Prima 2014
    Marquês dos Vales Alvarinho 2013
    Marquês de Marialva Reserva Arinto 2013
    Fonte de Gonçalvinho Encruzado 2013
    Andreza Códega do Larinho 2013
    Bridão Reserva 2012

    ResponderEliminar