terça-feira, 28 de junho de 2016

Almoço Soalheiro : Reserva 2014, um branco de excepção

Com o verão à porta, a Garrafeira Nectar das Avenidas substituíu o tradicional jantar vínico das sextas-feiras por um almoço ao sábado, que decorreu no terraço do Via Graça, ou melhor, no terraço da casa do João Bandeira, o dono do restaurante. O evento, entre jantares e almoços foi o 55º. É obra!
Boa gastronomia, bom ritmo, boa logística e bons copos, mas com alguns dos vinhos a chegarem atrasados à mesa. Desfilaram, sendo todos da marca Soalheiro:
.Espumante Rosé 2014 - com base nas castas Alvarinho (50 %) e Touriga Nacional (50 %); fresco e com uma bolha fina, cumpriu bem a sua função de bebida de boas vindas.
Acompanhou croquetes de novilho e tiborna de bacalhau.
.Alvarinho Clássico 2015 e Alvarinho Granit 2015 - presença de citrinos, notas tropicais (mais o 1º), alguma gordura e volume, mais fresco, mineral e seco o 2º. Qualquer deles vai melhorar com o tempo. Nota 16,5+ para ambos.
Maridaram com uma meia desfeita de bacalhau.
.Alvarinho 1ª Vinhas 2015 (novidade) - fresco, frutado e mineral, bela acidez, algum volume e final de boca; mais complexo que os anteriores. Há que esperar mais 2/3 anos por ele. Nota 17,5.
.Alvarinho Reserva 2014 - estagiou em barrica; muito consistente, nariz impressionante, bela acidez, alguma gordura, grande volume e final de boca assinalável; não deve ser bebido muito frio. Caminha a passos largos para a complexidade do Reserva 2007; espero voltar a bebê-lo daqui a 4/5 anos. Nota 18.
Estes 2 vinhos, especialmente o Reserva, aguentaram bem uma costeleta de vitela à Via Graça.
O repasto terminou com um gelado de biscoito e chocolate belga, acompanhado por um desinteressante Soalheiro Dócil 2015, o elo mais fraco da marca Soalheiro, para o meu gosto.



Sem comentários:

Enviar um comentário