quinta-feira, 30 de junho de 2016

Mercado de Algés revisitado : um dia para esquecer

Já conhecia este espaço e dele dei notícia em "Mercado de Algés : o Peixe ó Balcão", crónica publicada em 3/9/2015.
Nesta revisita, achei o interior do Mercado muito mais barulhento e a esplanada, que é para fumadores, com muito calor, logo não se está confortável nem dentro, nem fora. A única coisa que melhorou foram as cadeiras da esplanada que foram substituídas por outras que se conseguem encaixar nas mesas, o que não acontecia.
Voltei a abancar no Peixe ó Balcão mas que, desta vez, me deixou completamente desiludido. Os pratos mais emblemáticos desapareceram, restando os triviais. O chefe Rodrigo Castelo desinvestiu neste projecto ou, simplesmente, abandonou-o? Gostava de saber.
Comi uma sopa de peixe muito aceitável, mas o prato (ovos rotos com muxama) foi um fiasco, pois resumiu-se a 2 ovos estrelados e umas (poucas) tiras de muxama. Atendimento demorado e pouco eficiente.
Bebi um copo do branco CARM 2015 (4,50 €, uma exorbitância) - frutado, fresco, acidez q.b., alguma gordura e volume, final médio. Nota 16.
O copo, com o logo do Esporão (também havia do Fiúza, o que não faz sentido) já vinha servido. Enfim, só desgraças...
Mercado de Algés, nunca mais!

2 comentários:

  1. Caro Francisco,
    o Rodrigo Castelo há muito que se desligou deste projecto. Infelizmente nestes casos a colagem perdura, o que acaba por arrastar o nome do chefe. Danos colaterais da moderna restauração.
    Cumprimentos,
    Jorge

    ResponderEliminar
  2. Caro Jorge,
    Obrigado pelo seu comentário. Cá me queria parecer que o Peixe ó Balcão tinha dado uma grande volta.
    Um abraço

    ResponderEliminar