terça-feira, 13 de setembro de 2016

Cachorro à Portuguesa : os conselhos do chefe João Sá

Li, já há algumas semanas, uma notícia que me despertou a curiosidade. Tinha aberto um espaço gastronómico que dava pelo nome de Cachorro à Portuguesa À Nossa Maneira (Rua São Marçal, nº 111, mesmo junto à Rua da Escola Politécnica), que teve (tem?) como consultor o chefe João Sá (ex-G Spot e ex-Assinatura), responsável pela concepção dos recheios dos ditos cachorros.
São 16, à base de frango (3), vaca (4), porco (5), heróis do mar (2) e não é carne nem é peixe (2), havendo também umas tantas entradas com o sugestivo nome "enquanto espero".
Comecei por uma curiosa espécie de croquete de tremoço (!), seguido de um herói do mar que dava pelo nome de bacalhau com todos, o qual vinha acompanhado de salada de couve, ovo ralado, maionese de coentrada e batata doce frita, terminando num imaginativo pirolito (vodka com gelado de limão), servido num pequeno frasco e bebido com uma palhinha (!). Uma refeição deveras original, que poria os cabelos em pé dos indefectíveis da cozinha de autor.
Resta dizer que não apreciei particularmente o pão do cachorro. Já comi bem melhor. E andaram os donos 2 anos a provar pão!
Quanto a vinhos a copo, apenas 4 (2 brancos e 2 tintos) todos da marca Fiúza, com os tintos à temperatura ambiente, isto é, a vinte e muitos graus. Francamente, bem podiam ter pedido a ajuda de quem perceba alguma coisa de serviço de vinhos, à semelhança do que fizeram com a comida.
Optei por uma cerveja artesanal Saudade (Companhia das Caricas), ligeiramente turva e amarga, que veio numa caneca e entornou por fora logo que peguei nela. Mais uma originalidade, mas que não funciona. A meu pedido, foi substituida pelo clássico copo. Um desabafo: cada vez gosto mais das cervejas artesanais e cada vez menos das industriais!
Finalmente, mais uma nota curiosa e original: todos os lugares têm uma lâmpada acesa por cima, bastando fechá-la para chamar a empregada.

2 comentários:

  1. E assim perdi alguma da vontade que tinha de lá ir. Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário, mas acho que vale a pena conhecer o conceito. O que não vale a pena é beber vinho a copo. Antes a cerveja artesanal.

      Eliminar