quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Provar vinhos com a Santos & Seixo

A convite da Santos & Seixo (Alzira Santos e Pedro Seixo), participei na apresentação da marca Rotas de Portugal e das novas colheitas Santos da Casa, que teve lugar no Hotel Nau Palácio do Governador (em Belém). A prova foi feita numa das salas do hotel, sem o mínimo de condições, tendo ficado alguns dos intervenientes entre portas, pois não cabiam naquele espaço (disseram-me que o evento fora previsto para o exterior, mas que o tempo adverso o teria impedido).
A introdução foi feita pela Rita Matos (responsável pelo Marketing da empresa), tendo a orientação da prova ficado nas mãos experientes do Manuel Moreira (crítico da revista Wine e conceituado escanção), um excelente comunicador.
Entre os participantes, alguns ligados à restauração e outros à imprensa generalista, estava a Revista de Vinhos (Luis Antunes e João Geirinhas) e uma representação mínima da blogosfera (o Elias Macovela e eu!?).
Os vinhos apresentados, da responsabilidade do enólogo Paulo Nigra que veio substituir o Helder Cunha, foram:
.Santos da Casa  Alentejo 2015 branco - aroma intenso, frutado (citrinos evidentes), alguma acidez e gordura, volume e final de boca médios. Simples e correcto, para acompanhar entradas leves. Nota 16.
.Santos da Casa Douro 2015 branco - mais complexo que o anterior, notas florais, acidez e gordura equilibradas, volume e final de boca médios. Pode acompanhar entradas um pouco mais elaboradas. Nota 16,5.
.Rotas de Portugal Alentejo 2015 tinto - muito frutado, mas algo rústico e com taninos agressivos. Pareceu-me com sulfuroso em excesso. Sem nota.
.Santos da Casa Douro 2014 - estagiou 9 meses em barricas de carvalho francês e americano; alguma fruta, frescura e acidez, ligeiramente especiado, volume e final de boca médios. Nota 16.
.Santos da Casa Reserva Douro 2013 - estagiou 12 meses em barricas de carvalho francês e americano - aroma algo exuberante, fruta vermelha, alguma acidez e complexidade, taninos domesticados, algum volume e final seco. Nota 16,5+.
.Santos da Casa Grande Reserva Douro 2013 - com origem em vinhas velhas, estagiou 18 meses em barricas de carvalho francês e americano; neste momento está muito semelhante ao anterior. Custa praticamente o dobro, um exagero, mas só o tempo dirá se a diferença de qualidade o vai merecer. Nota 17.
No final da prova o produtor, muito simpaticamente, ofereceu aos participantes 1 embalagem com 3 dos seus vinhos (Santos da Casa Douro 2015 branco e 2103 tinto e, ainda, Rotas de Portugal Alentejo 2015).

Sem comentários:

Enviar um comentário