terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Almoço com Bual 1920 e outras pingas de eleição

Em boa hora o Frederico Oom, cliente da Garrafeira Néctar das Avenidas, decidiu partilhar com um grupo de enófilos militantes uma garrafa de Madeira Blandy's Bual 1920, um fortificado badalado nas principais revistas especializadas de todo o mundo.
O João Quintela assumiu a organização do evento, escolheu o Via Graça para o repasto, combinou as harmonizações com o João Bandeira (prestigiado chefe e proprietário deste espaço e da Casa do Bacalhau) e fez os convites.
Cada um dos sortudos trouxe consigo uma garrafa de um vinho de referência, a saber:
.Terrantez do Pico by António Maçanita 2015 (garrafa nº 1084/1413, levada pelo Adelino de Sousa) - frutado, fresco e mineral, notas florais, elegante e sofisticado. Pode ser bebido ainda por alguns anos. Nota 17,5.
Acompanhou croquetes e pasteis de bacalhau.
.Soalheiro Alvarinho 1ª Vinhas 2011 (magnum trazida pelo João Quintela) - belíssima cor, aromas terciários, fruta madura, notas amanteigadas, alguma oxidação, acidez fabulosa, volume notável e final de boca adocicado. No ponto óptimo de consumo, já não vale a pena guardar mais. Nota 18 (noutras situações 17,5+/17,5/17,5/18).
Maridagem perfeita com sável frito e açorda de ovas do mesmo.
.Qtª da Falorca Garrafeira 2007 (da garrafeira do Juca) - aroma intenso, notas florais, elegante e fresco, especiado, notas de chocolate, taninos de veludo, volume apreciável e final de boca persistente. Ainda muito longe da reforma, pode ser bebido daqui por 8/10 anos. Nota 18,5.
Perfeito com um excelente robalo da costa no pão, também acompanhado pelo alvarinho anterior.
.CV-Curriculum Vitae 2007 (levado por mim) - aroma intenso, especiado, notas de tabaco, acidez equilibrada, taninos civilizados, algum volume e final de boca; álcool excessivo (15,5 %). A beber nos próximos 2/3 anos. Nota 18 (noutras 18/18,5/18/18).
.Robustus 2007 (trazido pelo José Rosa) - aroma complexo, ainda com fruta, acidez nos mínimos, taninos "light", volume e final de boca médios. Pouco robusto, está no ponto para ser bebido. Nota 17,5 (noutra 18).
Estes 2 tintos maridaram com bochechas de vitela e risotto de cogumelos, que não apreciei devidamente, pois já estava mais que almoçado.
.Blandy Bual 1920 (sem data de engarrafamento) - frutos secos, vinagrinho, notas de iodo e brandy, taninos evidentes, vilume notável e final de boca interminável, ficando o aroma a pairar na sala uns tempos. Nota 19 (noutras 19,5/19,5/19/19,5).
Fez-lhe companhia uma sobremesa de leite creme e gelado de café.
Grande sessão, com boa gastronomia, vinhos de excepção, um serviço à altura e vistas de cortar a respiração. Obrigado Frederico! Obrigado João!

1 comentário:

  1. ... e obrigado Francisco! Foi um enorme prazer partilhar mesa e pingas com convivas deste gabarito. Que venham mais jornadas destas! Frederico

    ResponderEliminar