terça-feira, 25 de abril de 2017

Enoturismo no Douro (IV) : Qtª do Vallado e Qtª Nova N. Srª do Carmo

...continuando:
1.Qtª do Vallado
Tive muita pena que o Francisco Ferreira, um dos mediáticos Douro Boys, não pudesse ter aparecido para lhe dar um grande abraço e recordar os bons velhos tempos das Coisas do Arco do Vinho (CAV). Eu já estive aqui por diversas vezes, mas é sempre um prazer voltar.
Fomos recebidos pela Joana Gomes, uma enóloga responsável pelo enoturismo da Qtª do Vallado, que nos conduziu e guiou, com o maior dos profissionalismos e simpatia, pela adega nova e sala das barricas. Também tivemos oportunidade de provar os seguintes vinhos:
.2016 branco (correcto, mas sem impressionar)
.2015 tinto (idem)
.Touriga Nacional 2014 (estruturado e complexo, volume e final de boca apreciáveis)
.Reserva 2014 (com base em vinhas velhas, grande complexidade, mas a precisar de tempo para se harmonizar)
.Tawny 10 Anos (com um bom potencial, parecendo ter mais uns anitos, está ao nível do R P provado na véspera)
2.Qtª Nova
Já a conhecia na versão antiga onde, a convite do casal Fátima Burmester e António Pimenta, passei um fim de semana com a minha mulher. A Qtª Nova, agora pertença da família Amorim, foi ampliada e modernizada.
Em representação da Luisa Amorim fomos recebidos pela Paula Sousa, responsável pelo enoturismo,  já minha conhecida dos tempos das CAV, que nos conduziu directamente para o restaurante (o Conceitus Winery, cujo chefe estava presente e dá pelo nome de Rui Frutuoso).
Durante o repasto e apresentados pela Paula Sousa, desfilaram:
.Qtª Nova 2014 tinto - aromas primários, muita fruta vermelha, alguma acidez, taninos presentes, volume e final médios. Nota 16.
Não gostei da ligação com o belíssimo caldo verde, tosta de broa e chouriço.
.Grainha Reserva 2015 branco - com base nas castas tradicionais do Douro a que se juntou a Fernão Pires, estagiou 15 meses em barrica - presença de citrinos e fruta cozida, alguma acidez e notas amanteigadas, volume e final de boca agradáveis. Nota 16,5+.
Maridou bem com um saboroso carpaccio de polvo (também ligaria com o caldo verde, em minha opinião).
.Qtª Nova Grande Reserva 2013 (previamente decantado) - com base em vinhas velhas e Touriga Nacional, estagiou 18 meses em barrica; aroma envolvente, frutado, complexo e especiado, acidez equilibrada, taninos presentes, volume e final de boca notáveis. Grande potencial de evolução, melhor daqui a 6/7 anos. Nota 18.
Harmonizou com um naco de vitela, batata a murro e legumes salteados. Pena que alguma carne, embora saborosa, tivesse demasiado al dente.
.Qtª Nova LBV 2012 - nariz contido, muita fruta, taninos ainda por domar, final doce. Nota 16.
Não ligou muito bem com a sobremesa (crocante de leite de creme com gelado de nata). Harmonizaria melhor com uma sobremesa à base de chocolate.
O serviço foi eficiente e esclarecido, com os vinhos a chegarem à mesa antes dos pratos.
Depois do almoço, a Paula Sousa, muito profissional e o braço direito da Luisa Amorim, mas também simpática e divertida, conduziu-nos numa visita à adega e sala das barricas. No final ainda tivemos a oportunidade de provar 3 vinhos (Pomares 2015 branco, Qtª Nova Reserva 2014 e Grainha Reserva 2014).
continua...

Sem comentários:

Enviar um comentário