quinta-feira, 25 de maio de 2017

Provar vinhos com a Adega Cooperativa da Vidigueira

1.Introdução
Por convite da Adega Cooperativa da Vidigueira, Cuba & Alvito (ACV), tive a oportunidade de provar uma série de vinhos VDG (1 espumante e 7 brancos) e, ainda, 2 tintos e 1 licoroso, a maioria posta no mercado muito recentemente. A prova, seguida de almoço, decorreu no restaurante Espelho de Água, bem junto ao Tejo.
A ACV fez-se representar por uns tantos elementos da direcção e não só, tendo a prova sido orientada pelo enólogo da casa, Luis Leão de seu nome, já meu conhecido dos tempos da Herdade do Pinheiro, onde ele ainda colabora. Segundo percebi, de cada um dos monocastas apresentados foram produzidas 3333 garrafas, ao preço recomendado de venda ao público entre os 7 e os 8 €.
Quanto aos participantes, percebi que a blogosfera estava representada, bem como alguma imprensa especializada e generalista. Lamentavelmente, foi-me prometido que me enviariam a respectiva listagem, sem que o tivessem feito até esta data. Mas já me habituei a promessas não cumpridas.
Uma nota simpática: aos participantes foi-lhes oferecida 1 garrafa de Vidigueira Antão Vaz, acompanhada por uma manga e um saca-rolhas. Os meus agradecimentos.
2.A prova dos primeiros vinhos
Foram provados os primeiros VDG (1 espumante e 3 brancos) na varanda exterior ao restaurante, sem um mínimo de condições, debaixo de um calor insuportável que nem os chapéus de sol conseguiram amenizar. Era deveras complicado segurar o copo numa mão, a caneta e o caderno na outra, já não falando na necessidade de uma mão extra para pegar nos canapés que iam passando.
O espumante, fresco e com notas de pão cozido, era da colheita de 2015 e funcionou bem como bebida de boas vindas.
Seguiram-se os monocastas brancos de 2016, a saber: Vermentino (uma casta italiana, com uma desagradável componente vegetal que não traz nenhum valor acrescentado, antes pelo contário; nota 14,5), Verdelho (o branco vencedor deste primeiro confronto, muito equilibrado entre a fruta e a acidez, notas amanteigadas e um perfil deveras gastronómico; 16,5+) e Viognier (fresco com um toque tropical; 16).
3.O almoço e prova dos restantes vinhos
Com a entrada (salada de verduras e queijo fresco) foram provados:
.Antão Vaz - notas tropicais, fruta madura e algum vegetal, boa acidez, volume consistente e alguma persistência; gastronómico, ficaria melhor com o prato de peixe. Nota 16,5+.
.Alvarinho - presença de citrinos e fruta tropical, notas vegetais, volume e final de boca médios; também não traz nenhum valor acrescentado ao Alentejo, pois esta casta perde muito, se retirada do seu berço. Nota 15.
Com o prato de peixe (lombo de bacalhau com crosta de azeitona preta):
.Chardonnay - fruta madura, notas tropicais e amanteigadas, volume e final de boca apreciáveis. Gastronómico, ligou bem com o lombo de bacalhau. Nota 16,5.
.Arinto - presença de citrinos e notas vegetais, bela acidez, sofisticado e longevo, vai melhorar nos próximos 2/3 anos. Não ligou com o bacalhau, iria melhor com a salada. Nota 16,5+.
Com o prato de carne (entrecôte com esmagada de batata):
.Grande Escolha 2014 - com base nas castas Trincadeira e Alicante Bouschet, estagiou 12 meses em barricas de carvalho francês e americano; aroma intenso, muita fruta vermelha, bela acidez, taninos presentes mas civilizados, algum volume e final de boca. Muito harmonioso, tem uma relação preço (7,50)/qualidade excepcional. Foi o vinho que mais me encantou. Nota 17,5.
.Reserva 2015 - com base na casta Syrah, estagiou 12 meses em barricas de carvalho francês; nariz contido, muita fruta vermelha, acidez bem equilibrada, volume e final de boca médios, precisa de mais algum tempo para se mostrar. Nota 16,5.
Estes 2 tintos chegaram à mesa quentes, o que é indesculpável. Alertado o enólogo, as garrafas foram rapidamente refrigeradas. Não havia necessidade...
Com a sobremesa (creme de queijo e natas com compota de goiaba):
.Licoroso 2013 - com base nas castas Trincadeira e Tinta Grossa; presença de fruta preta, taninos redondos, doçura apreciável, volume e final médios. Nota 15,5.


Sem comentários:

Enviar um comentário