terça-feira, 26 de setembro de 2017

Os 25 anos do projecto João Portugal Ramos (JPR) - 1ª parte

1.Eu e o JPR
Ao longo da minha vida de enófilo, primeiro como um dos responsáveis pela loja Coisas do Arco do Vinho (CAV) e, posteriormente, como autor deste blogue, cruzei-me por diversas vezes com o JPR. Ele esteve presente em diversos eventos, provas e jantares vínicos organizados pelas CAV, com os seus conceituados néctares, sendo de destacar as apresentações nacionais do Conde de Vimioso Reserva 2000 (a sua 1ª edição), Marquês de Borba Reserva 1999 e Qtª Foz de Arouce Vinhas Velhas 2003.
Também me ficou na memória uma sessão memorável na sua casa, onde fomos (eu, o meu sócio e respectivas companheiras) recebidos pelos anfitriões (a Tété, sua esposa e ele próprio) e presenteados com um almoço de perdizes (provenientes das suas caçadas) deliciosamente confeccionadas, regadas com alguns dos seus vinhos de eleição.
O JPR, para além de prestigiado enólogo, com provas dadas no Alentejo (Marquês de Borba, Vila Santa, monocastas, etc), Ribatejo (Conde de Vimioso) e Beiras (Qtª Foz de Arouce), é um apaixonado pela caça e um grande conversador, detentor de vasto repertório de histórias e anedotas.
Já na minha actual fase de bloguista, publiquei as crónicas:
."João Portugal Ramos e a Blogosfera", em 3/6/2012, onde destaquei alguns dos vinhos bebidos durante o almoço: os brancos Vila Santa Reserva 2008 (nota 17,5+) e 2009 (nota 17,5) e os tintos Marquês de Borba Reserva 1997 (nota 18) e 2000 (nota 18,5).
."Os vinhos do João e os vinhos do José", em 2/5/2013, um jantar com a presença do JPR e do seu amigo e sócio José Maria Soares Franco, durante o qual foram apresentados vários vinhos tintos de topo e, ainda, o seu 1º Alvarinho, um sonho antigo.
2.O mistério da magnum João Portugal Ramos 25 Anos
No final do jantar comemorativo dos 25 anos do projecto JPR, do qual me referirei em próxima crónica, foi oferecida aos participantes uma garrafa magnum, numa discreta mas bonita embalagem.
No interior da embalagem pode ler-se:
"(...) Passaram-se 25 anos, e sem poder resumir o projecto de uma vida numa garrafa, reuni neste vinho comemorativo a soma daquilo que duas das mais emblemáticas regiões do nosso país - o Alentejo e o Douro - nos podem oferecer.
(...) Acredito que a paixão de criar vinhos já nasceu comigo e que tenho a felicidade de fazer aquilo que gosto, mas o maior privilégio continua a ser o de poder partilhar consigo esta paixão em cada vinho que faço."
Assinado, João Portugal Ramos.
Obrigado JPR, pela oferta!
Mas, nisto de vinhos gosto de saber o que vou beber. Para além da indicação que este vinho era constituído por lotes do Alentejo e Douro, a garrafa não me diz mais nada, nem no rótulo nem no contra-rótulo.
Qual o ano de colheita? Em parcelas do Alentejo e do Douro teve origem? Quais as castas? Onde estagiou? Quanto tempo? Tudo isto para perceber quando devo abrir esta garrafa.
Curiosamente, pondo as minhas legítimas interrogações à empresa, não consegui obter qualquer resposta concreta. Mistérios insondáveis da magnum João Portugal ramos 25 Anos!
continua...

Sem comentários:

Enviar um comentário