terça-feira, 5 de setembro de 2017

Vinhos em família (LXXXI) : lugar aos brancos

Mais 4 vinhos brancos provados descontraidamente em casa, com os rótulos à vista e sem a pressão da prova cega.
E eles foram:
.Kompassus Reserva 2013 (13 % vol.) - valeu 18 na antiga RV; enologia de Anselmo Mendes, com base nas castas Arinto e Bical, estagiou em barricas de carvalho francês; nariz exuberante, muito fresco e frutado, acidez fabulosa, notas amanteigadas, algum volume e final de boca. Grande surpresa e excepcional relação qualidade/preço. Nota 17,5+.
.Qtª Bageiras Garrafeira 2014 (13,5 % vol.) - a antiga RV atribui-lhe 17,5 valores; garrafa nº 310/3115, com base nas castas Maria Gomes e Bical; alguma fruta, componente floral a impor-se, fresco, mas com notas gordas, volume e final de boca médios. Nota 16,5.
.Qtª Ameal Loreiro 2015 (11,5 %) - 94 pontos no Parker!; com base nas castas Loureiro (90 %) e Arinto (10 %); nariz exuberante, muito fresco e cítrico, acidez equilibrada (sem os excessos da maioria dos vinhos verdes), elegante e harmonioso, volume e final de boca médios. Um belo branco que, por acaso, é da Região Vinhos Verdes. Nota 17.
.Casal Santa Maria Malvasia 2015 (12 % vol.) - com base na casta Malvasia (100 %) em chão rijo de Colares ( no contra-rótulo afirma-se que as uvas eram provenientes da "exploração vitivinícola mais ocidental da Europa, perto do Cabo da Roca"); aromático, muito fresco, cítrico e mineral, acidez no ponto, algum volume e final de boca médio. Nota 17.

Sem comentários:

Enviar um comentário