terça-feira, 31 de outubro de 2017

Jantar Paulo Laureano

Mais uma iniciativa da Garrafeira Néctar das Avenidas, este jantar vínico com o Paulo Laureano que esteve presente e explicou os seus vinhos, 4 brancos e 2 tintos. O evento decorreu no Via Graça, onde também interviu o seu proprietário e chefe João Bandeira.
Diga-se já que o serviço de vinhos esteve impecável como já nos habituaram (temperaturas controladas, os vinhos a chegarem à mesa antes das iguarias, bons copos Riedel e alguns Schott, etc).
Bom ritmo, só desacelerando na altura de ser servida a sobremesa.
A única nota negativa foi o barulho que vinha de outras mesas próximas das nossas e, mais condenável, as conversas de alguns dos clientes presentes que não estavam inclinados para as explicações do Paulo Laureano. Mais valia que tivessem ficado em casa e dado lugar a outros mais interessados.
Quanto a comeres e beberes, desfilaram:
.Paulo Laureano Vinhas Velhas 2016 branco - foi o vinho de boas vindas, cumprindo a sua missão, mas sem entusiasmar.
Acompanhou os tradicionais rissóis de camarão e croquetes de vitela.
.Paulo Laureano Vinhas Velhas Private Selection 2016 branco - estagiou 4 meses em barricas de carvalho francês; alguma acidez e mineralidade, presença de fruta madura, notas amanteigadas, volume e final de boca médios. Gastronómico. Nota 16,5+.
Desarmonizou com o ceviche de garoupa com maçã verde, desequilibrado e agressivo. Teria sido melhor o branco que veio a seguir.
.Maria Teresa Laureano Verdelho 2015 - mais frutado e cítrico que o anterior, fresco e com boa acidez, volume e final de boca médios. Nota 16,5.
Também não gostei da ligação ao bacalhau (a puxar para o salgado) recheado com sapateira e puré de batata. Um prato do Via Graça menos conseguido. A esquecer.
.Miguel Maria Laureano Alfrocheiro 2014 - muita fruta, alguma acidez, fino e elegante, taninos discretos, bem estruturado e final de boca médio. Nota 17,5.
.Paulo Laureano Tinta Grossa Selection 2013 - mais vegetal, acidez nos mínimos, notas de lagar, taninos agressivos, volume e final de boca algo assinaláveis. Falta-lhe harmonia. Nota 17.
Estes tintos maridaram com umas excelentes e saborosíssimas bochechas de vitela com risotto de cogumelos selvagens.
.Dolium Escolha 2006 branco - com base na casta Antão Vaz, fermentou em barricas novas de carvalho francês a que se seguiram 8 meses de "bâtonnage"; oxidado e evoluído, mas com uma boa acidez, notas de fruta cozida, volume e final de boca médios. Já teve melhores dias. Nota 15,5.
Fez companhia a uma agradável tarte de requeijão com gelado de citrinos e verduras.
Resumindo e concluindo, este evento esteve uns furos abaixo daquilo que a Néctar das Avenidas nos tem habituado.

2 comentários:

  1. Caro Francisco,
    tenho pena que o Paulo Laureano seja tratado dessa maneira e que um jantar enófilo se faça com vinhos maioritariamente banais do autor (e alguns pelo que parece já passados do melhor momento de consumo) quando na verdade Laureano teria vinhos aptos a dar melhor conta do repasto proposto. Ora vejamos: para harmonizar com o ceviche, em vez do Paulo Laureano Vinhas Velhas Private Selection 2016 branco, sou da opinião de que os seus vinhos de Bucelas dariam melhor conta, ou o Verdelho que você refere a seguir podia também ser melhor para essa maridagem. Também estranho nesse contexto não ter sido bebido o vinho "Bacalhau", uma referência do enólogo propositada para culinária vária desse peixe. Quanto aos tintos, e tendo em conta o historial do produtor e dos jantares da Garrafeira Néctar das Avenidas, é de estranhar que em vez desse Tinta Grossa não tenha estado por exemplo, um ano anterior do mesmo vinho (provavelmente mais equilibrado), ou o enorme e tão esquecido Vinea Julieta Talhão 24. Para sobremesa talvez o seu espumante de Bucelas ou até o seu Rosé dessem melhor conta da tarte de requeijão com gelado.
    É por estas e por outras que a imagem de um enólogo como o Paulo Laureano vai abaixo, quando na verdade é o responsável por alguns dos melhores vinhos que foram feitos no Sul Português das últimas décadas.
    Cumprimentos,
    João S.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro João S.
      Obrigado pelo seu oportuno comentário. Vejo que conhece bem os vinhos do Paulo Laureano. Também tenho pena que o jantar não tivesse sido um êxito.

      Eliminar