terça-feira, 6 de março de 2018

Jantar Quinta Monte d' Oiro

A Garrafeira Néctar das Avenidas organizou mais um jantar vínico. Desta vez vez decorreu na Casa da Dízima, já nossa conhecida pela boa gastronomia e serviço de 5 estrelas, debaixo da batuta do Pedro Batista. Por parte do produtor compareceu o Francisco Bento dos Santos*, engenheiro biólogo e a sua face mais visível, que apresentou os seguintes vinhos:
.Lybra 2016 branco - fresco e mineral, cumpriu bem a sua missão de vinho de boas vindas.
Servido ainda com os participantes de pé, acompanhou uma série de canapés.
.Aurius 2002 - com base nas castas Syrah, Tinta Roriz e Petit Verdot, estagiou 16 a 18 meses em barricas novas de carvalho francês; aroma e sabores terciários, fruta ténue, fresco e elegante, taninos domesticados, volume e final médios. Apesar de se ter portado bem, já passou o seu momento. Nota 17.
Ligou bem com bombons crocantes de farinheira de porco preto, com grelos e batata doce.
.Têmpera 2004 - com base na casta Tinta Roriz, estagiou 15 meses em barricas de carvalho francês; também com aromas e sabores terciários, fresco e equilibrado na acidez, taninos ainda presentes, alguma complexidade, volume e final de boca médios. A consumir já. Nota 17+.
Harmonizou com codorniz recheada de cepes e foie gras com puré de castanha.
.Qtª Monte d´Oiro Reserva 2013 - com base maioritariamente na casta Syrah, estagiou em barricas de carvalho francês; aroma intenso, muita fruta vermelha, acidez equilibrada, notas especiadas, fresco e elegante, taninos presentes, volume considerável e final de boca persistente. A beber nos próximos 7/8 anos. Nota 18.
Excelente casamento com lombinhos de borrego com puré de favinhas.
.Madrigal Viognier 2016 (servido num magnífico decantador Riedel) - aromático, presença de citrinos e fruta madura, alguma acidez e volume e final de boca médio. Falta-lhe complexidade, mas precisa de tempo para se mostar.Melhor daqui a 2/3 anos. É um branco de outono/inverno e deveras gastronómico. Nota 16,5.
Servido com um dueto de queijos (Azeitão e Fornos de Algodres), passou por baixo.
Copos Schott, temperaturas correctas e serviço profissional com os vinhos a chegarem à mesa antes dos pratos.
* O site da Qtª Monte d' Oiro precisa de ser urgentemente actualizado, pois o nome do Francisco ainda não consta, nem sequer os vinhos. Não faz sentido.

Sem comentários:

Enviar um comentário