quinta-feira, 24 de maio de 2018

Enoturismo na Bairrada (VIII) : o Palace Hotel do Buçaco

...continuando...
11.Palace Hotel do Buçaco
Foi onde almoçámos no último dia e a grande desilusão desta jornada. Este requintado e histórico hotel que vem ainda do século XIX merecia um restaurante melhor, não só na componente gastronómica, mas também na vínica. Um hotel de 5 * tem a obrigação de ter uma cozinha e um serviço de sala irrepreensíveis, mas, lamentavelmente, está muito longe disso.
Mesas muito bem aparelhadas, mas apenas com pão e manteiga que se podem encontrar em qualquer modesto espaço de restauração.
Com o grupo já espalhado por diversas mesas, avançaram:
.Buçaco Reservado 2015 branco - com base nas castas Bical, Maria Gomes (da Bairrada) e Encruzado (do Dão); nariz intenso, presença de citrinos e fruta madura, bela acidez, notas amanteigadas, bem estruturado e final de boca assinalável. Grande branco, muito original e pleno de personalidade. Nota 17,5+.
Fez-se acompanhar por uma banal quiche de legumes. Merecia melhor!
.Buçaco Reservado 2013 tinto - com base nas castas Baga (Bairrada) e Touriga Nacional (Dão); nariz exuberante, muita fruta vermelha, notas florais, acidez no ponto, especiado, taninos presentes mas civilizados, algum volume e final de boca persistente. Está ainda muito novo e pode ser bebido daqui a 15/20 anos. Nota 18.
Estas notas de prova referem-se a uma 2ª garrafa, pedida por mim, pois a 1ª estava à temperatura ambiente, ou seja, quente, com o álcool a sobrepor-se. Esclareça-se que a garrafa foi trocada, mas o chefe de sala fê-lo contrariado, pois acha que o vinho tinto não deve ser servido à temperatura correcta (16 a 18º).
Como companhia foi servido pargo (mal) assado com legumes.
Cartão amarelo ao Hotel do Buçaco!
Salvou-se a sobremesa, bolo de chocolate com gelado de tangerina.
Estava prevista uma visita às caves e relíquias vínicas do Buçaco, mas o hotel não se disponibilizou, com a desculpa esfarrapada que não tinha ninguém para nos acompanhar, o que lhe valeu uma reclamação escrita por parte da Tryvel.
Por meu lado, novo cartão amarelo e um vermelho, por acumulação de cartões!
Para terminar, não resisto a mencionar um livro do saudoso José A. Salvador, publicado em 1993 com o título "Roteiro de Vinhos da Bairrada", em cujo primeiro capítulo "Bussaco, a Catedral da Bairrada" escreveu "(...) A cave do Palace Hotel do Bussaco é um autêntico templo báquico, onde sobressai o rigor do cerimonial enófilo ditado por mestre José dos Santos. Director do hotel (...) é autor e educador dos melhores vinhos brancos e tintos desta região, que consagram esta casa, situada no coração da mata do Bussaco, como a verdadeira catedral da Bairrada (...)".
Fim dos meus serviços...

Sem comentários:

Enviar um comentário