domingo, 10 de junho de 2018

Cantina Zé Avillez : o rei vai nú?

Fui conhecer um dos últimos projectos do chefe José Avillez, a sua Cantina (Rua dos Arameiros,15 entre a Rua dos Bacalhoeiros e a Rua da Alfândega, ao Campo das Cebolas), um espaço descontraido, com toalhetes e guardanapos de papel. Lá fora, uma boa esplanada que com tempo ameno é uma mais valia. A minha experiência gastronómica, neste novo espaço, foi razoável mas abaixo das expectativas criadas pela comunicação social.
Quanto ao serviço, foi um desastre completo. Comecei por pedir bacalhau às lascas, mas obtive como resposta que não havia, só bacalhau lascado!?!?. Para acompanhar o prato, pedi um dos vinhos a copo que constavam na lista. Passado algum tempo, que me pareceu excessivo, fui informado que afinal não havia!!! Mas os deslizes no serviço não pararam. Reparei que na mesa mesmo ao meu lado (as mesas estavam encostadas*, acontecendo que os nossos cotovelos, o meu e o do meu vizinho, se chocavam, uma menos valia!!!) as imperiais foram devolvidas e um dos pratos também, porque não correspondiam aos pedidos feitos!!! Isto passou-se num metro quadrado, imagine-se o que não se teria passado nas restantes mesas...
* recado para o chefe: facture um pouco menos, mas deixe os seus clientes mais confortáveis.
Quanto à componente gastronómica, inventariei 3 salgados, 2 sopas (comi a de feijão com couve lombarda, aceitável), 6 entradas, 10 pratos principais (comi o tal bacalhau lascado, com grelos, ovo, crosta de broa e alheira, razoável, mas que podia comer em qualquer restaurante das redondezas por metade do preço; custou-me 15 €), 2 saladas, 2 pregos, 2 vegan e 5 sobremesas.
Quanto à componente vínica, inventariei 13 brancos (3 a copo), 12 tintos (3, que afinal eram apenas 2), 2 Porto, 1 Madeira, 1 Moscatel, 1 Carcavelos e 1 Late Harvest (todos estes a copo). Preços altos, alguns demenciais (Soalheiro 1ª Vinhas e Qtª Vallado Reserva brancos a 46 € e Pintas Character a 52 € e, ainda, Lagoalva Alfrocheiro a 65 € *).
* recado para o chefe: reveja os preços, que não são de cantina!
Acabei por optar por um copo do tinto JA 2015 (uma parceria com a Qtª Monte d' Oiro) - frutado, notas vegetais, rústico, alguma acidez, volume e final de boca médios. Nota 15,5.
A garrafa veio à mesa e o vinhos dado a provar num bom copo, mas fiquei na dúvida se o fariam para todos os clientes.
Resumindo e concluindo, não recomendo nem tenciono voltar.

Sem comentários:

Enviar um comentário