quinta-feira, 26 de julho de 2018

Rescaldo das férias (II) : Bem Haja e Mesa de Lemos

continuando...

2.Bem Haja (Nelas) - 3,5*
Já não ia ao Bem Haja, uma referência em Nelas, há uma série de anos, mas desta vez não me apaixonou. Sei que as pessoas são outras e que a dona do original trouxe-o para Lisboa (Praça das Flores). Tenciono visitá-lo na primeira oportunidade.
Em Nelas, comi um saboroso entrecosto, acompanhado com um arroz de carqueija que não deixou saudades.
Quanto à componente vínica, a lista é longa, mas com oferta a copo reduzida e omissão dos anos de colheita. Optei por um copo do tinto Pedra Cancela Reserva 2014 (nota 17).
A garrafa veio à mesa e o vinho dar a provar num bom copo e à temperatura correcta.
Em conclusão, esta tardia revisita, foi uma relativa desilusão.

3.Mesa de Lemos (Quinta de Lemos, Silgueiros) - 5*
O Mesa de Lemos, já aqui referido e louvado em "Enoturismo no Dão (VI) : Quinta de Lemos", crónica publicada em 1/11/2016, é seguramente o melhor restaurante da região e um dos melhores em Portugal. Conforto, prazer à mesa, bons vinhos e serviço requintado e personalizado, são as principais características deste surpreendente espaço de restauração.
Como mais valia, a loiça (Vista Alegre) e os talheres estão personalizados com o logo da Qtª de Lemos e os copos são Zwiesel (o topo de gama da Schott).
Nesta revisita optei pelo Menu Mesa de Lemos (40 €, acrescidos de 15 € do suplemento de vinhos). Também se podem escolher o Menu Lemos (80 + 25 €) ou o Menu do Chefe (105 + 40 €), mas o primeiro é mais que suficiente e ninguém fica com fome.
O repasto foi composto por 4 momentos, a saber:
.1º - 3 "mimos" do chefe ("ovo", servido num ovo de vidro, "leguminosas" e pastel de massa tenra com barriga de atum)
.2º - da Islândia o Bacalhau
.3º - do Montado Alentejano o Porco
.4º - da Nossa Horta o Kiwi
Entre o 1º e o 2º momentos, foi servido o couver (pão feito na casa, manteiga dos Açores, sal de Castro Marim e azeite da Qtª de Lemos).
Diga-se desde já que tudo o que veio para a mesa era de grande qualidade e na cozinha estava a Inês Beja, já nossa conhecida. O maior elogio: não demos pela ausência do chefe Diogo Rocha.
Quanto ao suplemento de vinhos, todos da Qtª de Lemos, com excepção do espumante, provei/bebi:
.Ribeiro Santo Bruto
.Manuela Rosé 2015
.Dona Paulette Encruzado 2015 (16,5+)
.Dona Santana 2012 tinto (17,5+)
.Fortificado sem rótulo, estilo LBV com base na casta Touriga Nacional (uma boa surpresa).
O serviço continua requintado, com os empregados a pegar nos copos ou nos talheres com luvas apropriadas.
É de inteira justiça referir, para além da Inês, a Andreia (Relações Públicas) que nos recebeu e acompanhou numa visita às instalações e o escanção Ricardo que apresentou e serviu os vinhos com muito profissionalismo.
Foi uma grande jornada e o ponto mais alto destas férias. Todos os enófilos que se prezam deviam conhecer esta Mesa de Lemos. Obrigatório!
continua...

Sem comentários:

Enviar um comentário