quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Vinhos em família (XC) : brancos de qualidade

A crónica de hoje é dedicada aos últimos vinhos que bebi em família, todos brancos e todos com qualidade, o que seria impensável há uns anos atrás. Aliás, vou bebendo brancos ao longo de todo o ano, enquanto que nos dias mais quentes os tintos não são tão apelativos e ficam à espera de melhor oportunidade.
Ei-los, os últimos 5:
.Kompassus Reserva 2015 (12 % vol.) - enologia de Anselmo Mendes; com base nas castas Arinto (70 %) e Bical (30 %), estagiou 8 meses em barricas de carvalho francês (60 % novas e 40 % usadas); muito fresco e mineral, presença de citrinos, acidez q.b., volume e final de boca médios. Fino e elegante, acompanha bem entradas leves. Nota 17.
.Anselmo Mendes Beira Interior 2014 (12,5 % vol.) - com base na casta Síria em vinhas velhas, estagiou 9 meses em barricas novas de carvalho francês seguido de 24 meses em garrafa; muito floral, alguma frescura e notas amanteigadas, algum volume e final de boca. Nota 17,5.
.Regueiro Alvarinho Barricas 2015 (13 % vol.; garrafa nº 548/1976) - estagiou em barricas de carvalho francês; presença de citrinos e fruta madura, bela acidez e algum amanteigado, volume e final de boca consistentes. Potencial de envelhecimento e gastronómico. Nota 17,5+.
.Qtª do Ameal Escolha 2015 (11,5% vol.) - com base nas castas Loureiro (90 %) e Arinto (10 %), estagiou 6 meses em barricas de carvalho francês usadas; muito fresco, mineral e cítrico, acidez no ponto, algum amanteigado, volume e final de boca médios. Elegante, acompanha bem marisco, peixe grelhado ou entradas leves. Nota 17,5.
.Terrenus Reserva Vinhas Velhas 2015 (13 % vol.) - 92 pontos no Parker; com base em vinhas velhas com mais de 90 anos, plantadas a 700 metros de altitude na Serra São Mamede, estagiou 12 meses em cubas de cimento e mais 12 em garrafa; presença de fruta de caroço, alguma acidez e gordura, volume e final de boca médios. Gastronómico. Nota 17.

Sem comentários:

Enviar um comentário