quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Vinhos em família (XCI) : 1 confirmação e 2 desilusões (relativas)

Mais alguns vinhos provados em família, com os rótulos à vista e sem a pressão da prova cega. Uma confirmação (o tinto) e duas desilusões (relativas, claro). E eles foram:
.Kompassus Private Colection 2011 - com base na casta Baga, estagiou 22 meses em barricas de carvalho francês novas e usadas; aroma muito fino, algo evoluído, já com aromas e sabores terciários e complexos, acidez no ponto, notas especiadas, taninos de veludo, grande estrutura e final de boca persistente. Teor alcoólico algo excessivo (15 % vol.); a beber nos próximos 3/4 anos, acompanhado de um prato no forno. Nota 18,5+ (noutra situação 18,5).
.1º Nome (Qtª do Mouro) 2016 - com base nas castas Rabigato (35 %), Gouveio (35 %), Arinto (20 %) e Alvarinho (10 %), estagiou 8 meses sobre as borras finas; nariz contido, presença de citrinos e um toque de maçãs, alguma acidez e gordura, volume e final de boca médios. Gastronómico. 12,5 % vol. Alguma desilusão (relativa). Nota 16,5
.Soulmate Grande Reserva (Cortes do Tua Wines) 2016 (garrafa nº 2069/2400) - 18 pontos na Grandes Escolhas e na Revista de Vinhos; com base nas castas tradicionais do Douro, estagiou 8 meses em barricas novas de carvalho francês; presença de citrinos e maçãs, notas florais e apetroladas, alguma acidez e gordura; algum volume e final de boca. 14 % vol. Precisa de tempo para se mostrar e crescer. Alguma desilusão  (relativa) depois das altas notas atribuídas. Nota 17,5.

Sem comentários:

Enviar um comentário