quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

2018 : na hora do balanço (I) - TOP Brancos

Esta é a 1ª crónica dedicada ao balanço vínico do ano passado e que contempla os brancos melhor pontuados. Os vinhos seleccionados foram provados/bebidos ao longo do ano 2018, no âmbito dos grupos que faço parte (Grupo dos 3, Grupo dos 6, Novo Formato+, Grupo dos Madeiras e FJF), em família, em jantares vínicos, em apresentações orientadas por produtores e em espaços de restauração. Ficam de fora os vinhos provados em painéis formais (Escolha da Imprensa da Vinho Grandes Escolhas) ou em provas alargadas (Bairradão, Vinhos do Alentejo, Vinhos & Sabores, Emprodalbe e Dão Capital).
O TOP de brancos está organizado por ordem alfabética, uma vez que os vinhos seleccionados têm todos a mesma classificação (18). É interessante comparar com o balanço de 2012, em que a maior parte se ficou pelos 17,5+. E os mais pontuados foram:
.Anselmo Mendes Curtimenta Alvarinho 2009 (V. Verdes)
.Kompassus Private Colection 2014 (Bairrada)
.Morgado Stª Catherina Reserva 2007 (Bucelas)
.Muros de Magma Verdelho 2015 (Biscoitos, Açores)
.Portal do Fidalgo Alvarinho 2007, 2011 e Reserva 25 Anos 2015 (V. Verdes)
.Qtª das Bageiras Garrafeira 2015 (Bairrada)
.Soalheiro Alvarinho 1ª Vinhas 2008, 2013 e 2014 (V. Verdes)
.Vértice Grande Reserva 2009 (Douro)
.Villa Oliveira Vinha do Províncio 2012 e Passarella 2014 (Dão)
.5ª de Mahler 2000 (Tejo)
Foram provados em 2018, mas não foram incluídos por já constarem em balanços anteriores:
.Qtª dos Carvalhais Branco Especial, engarrafamento de 2015 (Dão) (18,5+)
.Soalheiro Alvarinho Reserva 2014 (V. Verdes) (18,5)
.Lacrau Garrafeira 2011 (Douro) (18)
Também não foram incluídos 2 Colheitas Tardias, ambos com 18:
.Grandjó 2013 (Douro)
.Herdade das Servas (Alentejo)
É, ainda, de inteira justiça dar a conhecer mais uns tantos que não chegaram aos 18 pontos, mas andaram lá perto (17,5+):
.Anselmo Mendes Beira Interior 2014 (Beira Interior)
.Casal Stª Maria Malvasia 2016 (Lisboa)
.Encontro 1 2013 (Bairrada)
.La Rosa Tim Grande Reserva 2015 (Douro)
.Mapa Vinha dos Pais 2015 (Douro)
.Marquesa de Alorna Grande Reserva 2015 (Tejo)
.Porta dos Cavaleiros Reserva Seleccionada 1985 (Dão)
.Quanta Terra 2011 (Douro)
.Qtª da Pellada Primus 2014 (Dão)
.Qtª do Rol 2006 (Lisboa)
.Qtª dos Cozinheiros 1999 (Bairrada)
.Regueiro Alvarinho Barricas 2015 (V. Verdes)
.Soalheiro Alvarinho 1ª Vinhas 2011 e Reserva 2010 (V. Verdes)
Em conclusão, é de registar:
.a presença maioritária da casta Alvarinho (1/3 dos brancos aqui referidos), para mim a melhor casta portuguesa e uma das melhores a nível mundial
.a quantidade de brancos já com alguns anos em cima (quase 1/3 do total), 2 com quase 20 anos e 1 com mais de 30!
A próxima crónica deste balanço será dedicada aos vinhos tintos.

Sem comentários:

Enviar um comentário