terça-feira, 22 de janeiro de 2019

2018 : na hora do balanço (VI) - TOP espaços de restauração

Esta é a última crónica do balanço de 2018 e só agora publicada por ter estado à espera dos resultados de "Os Prémios Mesa Marcada", difundidos há poucos minutos.
A referida crónica é dedicada à selecção dos espaços de restauração que frequentei no decorrer do ano passado, tendo em conta a gastronomia, o ambiente, o serviço em geral e, fundamentalmente, a componente vínica (carta de vinhos, preços, oferta a copo, temperaturas, qualidade dos copos e o serviço específico de vinhos).
Não incluí a Enoteca de Belém, totalista deste TOP até 2017, por ter encerrado em 2018, e, ainda, alguns restaurantes onde comi muito bem, mas cuja componente vínica não se mostrou à altura da gastronómica.
Não sendo fácil hierarquisar os restaurantes eleitos, optei pela ordem alfabética. E eles são:
.Casa da Dízima, em Paço d´Arcos
.Casa do Bacalhau/Via Graça, em Lisboa (**)
.Lugar Marcado em Lisboa (*)
.Manjar do Marquês, no Pombal
.Mesa de Lemos, em Silgueiros
.Nunes Real Marisqueira, em Lisboa (*)
.Prado, em Lisboa (*)
.Sabores d`Itália, nas Caldas da Rainha (**)
.SáLa, em Lisboa (*)
Os espaços de restauração assinalados com (*) entram neste TOP pela 1ª vez, enquanto que os assinalados com (**) foram seleccionados todos os anos, sem interrupção, desde 2010.

Aproveito para acrescentar a minha votação para "Os Prémios Mesa Marcada", iniciativa do blogue Mesa Marcada (Duarte Calvão e Miguel Pires), para o qual tenho um link, de cujo júri (agora com 208 votantes) faço parte desde 2011 (entre parêntesis coloco em que lugar ficaram na classificação do referido painel).
1.Prado (5)
2.Sabores d' Itália (123) *
3.Mesa de Lemos (20)
4.Casa da Dízima (137) *
5.SáLa (24)
6.Casa do Bacalhau (170) *
7.Magano (61)
8.Manjar do Marquês (203) *
9.Lugar Marcado (223) *
10.Nunes Real Marisqueira (248) *
Os restaurantes assinalados com * apenas tiveram o meu voto, uma gritante injustiça!
Parte considerável do júri concentrou a sua votação nos espaços de restauração mais óbvios (os estrelados e/ou badalados). Seria de inteira justiça haver uma outra categoria para os menos badalados e mais acessíveis (30 a 50 €), mas com componentes gastronómica e vínica de muita qualidade, possibilitando-lhes um merecido lugar ao sol.

Sem comentários:

Enviar um comentário