segunda-feira, 24 de junho de 2019

Vinhos em família (XCV) : mais 4 brancos

Ou porque tenho bebido menos vinho em casa ou porque tenho andado a provar cervejas artesanais nestes últimos tempos, o que é um facto é que já há algum tempo não publicava nenhuma crónica deste tema "Vinhos em família".
Hoje só me referirei a brancos provados há relativamente pouco tempo, com os rótulos à vista e sem a pressão da prova cega.
E eles foram:
.Vértice Grande Reserva 2009 - enologia de Celso Pereira, com base nas castas Rabigato e Gouveio; evoluído e algo oxidado, fruta madura, glicerinado, alguma acidez e gordura, volume e final de boca médios (14 % vol.). Gastronómico, requer comida algo pesada. Nota 17.
.Qtª Saes Encruzado Estágio Prolongado 2015 - presença de citrinos e alguma fruta cozida, notas florais e fumadas, equilibrio acidez/gordura, volume e final de boca médios (13 % vol.). Elegante e equilibrado. A beber com entradas leves ou mais pesadas. Nota 17,5.
.Morgado Santa Catherina Reserva 2012 - com base na casta Arinto, estagiou 10 meses em barricas de carvalho francês; presença de citrinos e fruta de caroço, bem balanceado entre a acidez e a gordura, volume e final de boca consideráveis (14 % vol.). A acompanhar alguma entradas e queijos de pasta mole. Nota 17,5+.
.Colares Chitas Reserva 2016 - produzido por António Bernardino Paulo da Silva, com base na casta Malvasia; presença de citrinos, nota florais e salinidade, equilibrio entre a acidez e a gordura, volume e final de boca assinaláveis (12 % vol.). A beber com um peixe no forno. Complexo e original. A grande surpresa destas provas! Nota 18.

Sem comentários:

Enviar um comentário