quinta-feira, 10 de outubro de 2019

Geographia revisitado - 4 *

Já tinha prometido voltar a este restaurante na crónica "Espaços de restauração : algumas surpresas (III)", publicada em 27/9/2018. Baixei-lhe a classificação de 4,5 * para 4 *, considerando que o serviço de vinhos é errático, dependendo do profissionalismo de cada empregada presente na altura, como adiante detalharei.
Continua com as originais toalhas (?) de couro com bolsas para os talheres e a música alto que baixaram a pedido.
As cozinhas dos países de língua portuguesa continuam bem representadas tendo, nestas últimas visitas, degustado:
.Bojés com chutney de coentros (Goa)
.Caril de camarão com arroz de côco (Goa)
.A sapateira que queria ser casquinha de siri (Brasil)
.Atum com xerém e matapa (Cabo Verde/Moçambique)
.Mousse de chocolate São Tomé com seu salame (São Tomé)
Quanto à componente vínica, inventariei 2 espumantes, 17 brancos (com 3 verdes separados dos outros, o que não faz sentido), 2 rosés, 14 tintos e 2 Porto.
A copo, apenas Santos da Casa branco e tinto, o que é demasiado curto.
Optei pelo branco (colheita de 2017) - fresco e mineral, alguma acidez, volume e final médios. Harmonioso e gastronómico. Nota 16,5.
Numa das vezes o vinho já vinha servido e só me mostraram a garrafa a pedido. Lamentável!
Noutra a garrafa veio à mesa e o vinho dado a provar num bom copo.
Serviço simpático por parte das empregadas, mas atabalhoado numa das visitas e muito profissional na outra.
A voltar oportunamente.

Sem comentários:

Enviar um comentário