segunda-feira, 28 de março de 2011

Jantar de Vinhos no Clara Chiado

O jantar, anunciado para as 20h30, embora tivessem sido servidos canapés na sala inferior, só começou verdadeiramente já passava das 21h30. Estavam 100 participantes espalhados por 2 salas (numa delas fumava-se à mesa enquanto se provavam vinhos, francamente!), o que é de espantar numa altura de crise, embora o preço fosse convidativo. O nosso grupo, desta vez ficou em minoria (éramos 10 enófilos militantes). Fiquei com a impressão que a maioria dos participantes não navegava na nossa onda. A socialite andava por ali!
Por outro lado, o restaurante não tem logística para aguentar um jantar com tanta gente. O serviço não foi o mais eficiente e parte dos copos não era compatível com um evento deste tipo. A comida em geral não convenceu e os vinhos, não fora um surpreendente Alvarinho, deixaram muito a desejar.
Especificando, o espumante Qtª de Baixo 07, servido com os canapés e com a sobremesa, não atingiu o patamar de qualidade a que estamos habituados. Pouca frescura, bolha não perceptivel e um desagradável amargo final na boca. Nota 13. O Poema Alvarinho Superior 08 da Qtª do Louridal, cuja produtora e enóloga é a Sofia Silva, foi o ponto alto do jantar. Esteve 12 meses em contacto com as borras finas, em cubas de inox, e mais 12 meses de estágio na garrafa antes de vir para o mercado. Aromático sem ser excessivo, muito fresco na boca, belíssima acidez, gastronómico e com personalidade. Um bom exemplar desta excelente casta. Nota 17. Acompanhou um carpaccio de salmão acabado de sair do congelador! Seguiram-se 2 tintos "Consensual" da Casa das Torres (Douro). O Reserva 08 apresentou-se com excesso de fruta madura, axaropado e com falta de acidez. Resumindo, um perfil que nada tem a haver com o Douro e muito longe das características da colheita de 2008. Ainda lhe falta muito para Reserva. Nota 13. Acompanhou umas delícias de bacalhau algo secas. O último tinto foi o Premium 07, com mais acidez e menos fruta madura, pouco elegante e muito longe dos Douro 2007 que conheço. Nota 15. Acompanhou uns medalhões de vitela francamente bons (finalmente!).
De lamentar que nenhum dos produtores presentes tivesse tido o cuidado de andar pelas mesas. Foi pena, pois a opinião dos participantes é sempre útil. Em conclusão, um jantar para esquecer. E só não ficámos a chorar pelo dinheiro desembolsado, porque o Poema era mesmo bom.

Sem comentários:

Enviar um comentário