quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Infame : uma mais valia no Intendente

O Infame é o nome do restaurante do 1908 Lisboa Hotel, situado no Intendente, um local mal frequentado no passado, mas que agora está na moda. Pratica uma cozinha de fusão imaginativa e de qualidade, debaixo da batuta do chefe Nuno Bandeira de Lima, num espaço moderno e acolhedor. Mesas mais ou menos despojadas, mas com os irritantes guardanapos de papel.
Para além da lista, ao almoço está disponível um menú executivo (12,50 €) com direito a entrada, prato, sobremesa, bebida e café. Optei pela apelativa lista, tendo degustado o bife tártaro como entrada e o Sol Nascente (bacalhau com xerém de camarão, algas e ovas tobiko) como prato principal. Pratos de grande qualidade e primorosamente apresentados.
Quanto à componente vínica inventariei 3 espumantes (1 a copo), 5 champanhes, 34 brancos (5), 40 tintos (2) e 9 rosés (1). E, ainda, 11 fortificados (8 Portos, 1 Madeira e 2 Moscatéis), todos a copo.
Boas escolhas de um modo geral, mas sem os anos de colheita e com alguns preços demenciais. Os brancos da Região Vinhos Verdes estavam separados dos restantes, um erro comum à maioria dos restaurantes. Mais: na carta de vinhos aparece um 1908 Vintage mas, quando vi a garrafa, afinal estava-se na presença de um 20 Anos! Por simpatia do empregado, provei este Porto tawny cujo perfil apontava para um simples 10 Anos. Ignorância ou oportunismo?
Bebi uma Musa IPA, uma belíssima cerveja artesanal, uma bebida que "descobri" há pouco tempo, mas que me tem apaixonado.
Serviço eficiente e super simpático.
Recomendo e tenciono voltar, fazendo votos para que as imprecisões e inverdades da lista de vinhos sejam corrigidas.

Sem comentários:

Enviar um comentário