terça-feira, 28 de julho de 2015

Almoço com Vinhos Fortificados (19ª sessão) : um Alvarinho e um Cerceal de excelência

Mais uma grande sessão de convívio, comeres e beberes deste grupo de enófilos militantes, que decorreu em Porto Covo, chez Natalina/Modesto (mais uma vez) que nos disponibilizou as iguarias e os vinhos (excepção para o Cerceal, que saiu da minha garrafeira). O anterior encontro pode ser visto em "Almoço com Vinhos da Madeira (14ª sessão)...", crónica publicada em 12/7/2014.
Desfilaram 2 brancos (um dos quais em garrafa de 3 litros), 3 tintos, 1 Porto e 2 Madeiras:
.Soalheiro Alvarinho 1ª Vinhas 2012 (3 l) - grande complexidade e intensidade aromática, presença de citrinos e algum tropical, belíssima acidez, alguma gordura e volume, final longo; elegante e harmonioso, tem evoluido muito bem e ainda está longe da reforma. Nota 18 (noutras situações 17,5+/17,5/18/18).
.Soalheiro Alvarinho 1ª Vinhas 2013 (não cheguei a provar)
Os Alvarinhos acompanharam as entradas (casquinha de sapateira e cogumelos recheados) e a tradicional sopa de garoupa e ameijoas.
.Borges Cerceal 1979 (sem data de engarrafamento) - aroma intenso, frutos secos, vinagrinho, notas de brandy e caril, volumoso, final interminável. Um grande Madeira, sempre na área da excelência. Nota 19 (noutras 18,5/18,5/19).
Além de nos ter dado um grande prazer, bebido entre as entradas e o prato principal, serviu para limpar o palato.
.Altas Quintas Reserva 2004 - acidez evidente, notas vegetais, notas de tabaco e couro, taninos bicudos, volume e final médios; algo desequilibrado, foi o elo mais fraco da sessão. Nota 16 (noutra 14,5).
.Qtª do Mouro Rótulo Dourado 2007 - fresco, acidez equilibrada, especiado, notas de chocolate preto, taninos finos, volume e final apreciáveis, muito equilibrado e harmonioso; em forma mais 4/5 anos; um grande alentejano! Nota 18 (noutras 18,5/18).
.Aalto 2008 - nariz austero, acidez no ponto, alguma fruta, taninos domesticados, pouco concentrado, algum volume e final médio; elegante e harmonioso, ao estilo borgonhês. Nota 17,5+ (noutras 18/17,5/18,5/17,5).
Estes 3 tintos harmonizaram, melhor uns que outros, com uma excelente lebre com grão.
.Dow's Vintage 1980 - ainda com fruta, boa acidez, elegante e equilibrado, taninos macios, volume e final médios. Perdeu alguma complexidade. Nota 17,5 (noutras 18,5/17,5).
Maridou com uma tábua de queijos.
.Cossart Gordon Terrantez 1977 (engarrafado em 2004, com o nº 1006/2000) - nariz austero, acidez alta, notas de iodo e metálicas; algum desequilibrio e agressividade nesta garrafa; final longo. Nota 16,5+ (noutras 18/17,5).
Acompanhou as tradicionais pinhoadas e alguma doçaria.
Obrigado Natalina! Obrigado Modesto! Até para o ano...

Sem comentários:

Enviar um comentário